MinC e MEC lançam curso de pós-graduação na Fundação Joaquim Nabuco

Foto: Edson Leal/Ascom MinC

O ministro da Cultura, Roberto Freire, destacou a importância da ampliação dos cursos de formação promovidos pela pasta e suas vinculadas durante a cerimônia de autorização do curso de pós-graduação Lato Sensu da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), neste sábado, no Recife (PE). O curso será oferecido nas modalidades presencial e à distância nas áreas de Desenvolvimento Econômico, Educação e Pesquisa Social. Acompanhado do ministro da Educação, Mendonça Filho, Freire também participou da abertura da exposição "J. Borges 80 anos", em homenagem a um dos mais expressivos xilogravuristas e cordelistas brasileiros.

Na avaliação de Freire, a interação entre os Ministérios da Cultura e da Educação é fundamental para um maior aproveitamento das políticas governamentais. "Cada vez mais os governos têm a compreensão de que os ministérios não são ilhas, mas fazem parte de um continente de integração, que não conhece fronteiras. O importante desse momento de hoje, inclusive para a cultura, é a possibilidade de assistirmos à ampliação da formação de gestores públicos, que é uma das atribuições da Fundação Joaquim Nabuco. Essa expansão também está sendo feita no Ministério da Cultura e isso nos identifica", ressaltou.

Segundo ele, o MinC passa por um processo de abertura de seus programas para a sociedade por meio de alguns de seus órgãos vinculados. "Desde que assumi o ministério passamos a discutir formas de tornar esses programas de ensino mais acessíveis. A Fundação Casa de Rui Barbosa (FCRB) recebeu a cátedra da Organização das Nações Unidas para a educação, a ciência e cultura (Unesco), o que só notabiliza a formação que eles têm em gestores culturais. Estamos trabalhamos para tornar esse reconhecimento maior e mais aberto à sociedade brasileira", enfatizou.
Exposição J.Borges

A mostra do artista pernambucano J. Borges, que reúne 30 xilogravuras e suas matrizes, sendo dez inéditas, reinaugura o espaço de exposições de longa duração do Museu do Homem do Nordeste, no Recife. Além de diversas obras feitas por Borges, seus filhos e seus aprendizes, a exposição conta com a exibição da cinebiografia do xilogravurista, que foi dirigida pelo jornalista Eduardo Homem.

Para o presidente da Fundação Joaquim Nabuco, Luiz Otávio Cavalcanti, a iniciativa do MEC de modernizar o Museu do Homem não significa apenas a preocupação com a modernização do local, mas sobretudo com a manutenção do equipamento cultural que tem um importante papel de refletir as lutas sociais e os desafios daqueles que construíram o Brasil desde o século XVI. "O ato de credenciamento de uma escola de governo não significa apenas criar laços com a comunidade ou com o aperfeiçoamento para gestores que irão atuar nas redes municipais e estaduais de educação. É, a meu ver, o desdobramento de uma vocação pernambucana: nosso ímpeto revolucionário", afirmou.
Semana de Museus

O Museu do Homem do Nordeste é um dos participantes da 15ª edição da Semana de Museus, promovida pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), entidade vinculada ao MinC. A semana dos Museus acontece entre os dias 15 e 21 de maio e este ano tem o tema "Museus e Histórias Controversas". "A programação, que envolve mais de mil instituições em todo o País, tem muito a ver com a ideia da pluralidade e da diversidade", afirmou Freire.

Na visita ao Museu do Homem do Nordeste, o ministro salientou também a realização do 7º Fórum Nacional de Museus a ser promovido pelo Ibram/MinC, de 30 de maio a 4 de junho, no Centro de Eventos da PUC-RS, em Porto Alegre. "O fórum deverá discutir os diversos aspectos dos museus, não apenas como equipamento que olha para o passado, mas, sobretudo como algo que precisa estar muito vivo em nosso futuro", disse.
Países de Língua Portuguesa

O ministro ressaltou ainda a realização da 10ª edição da Reunião dos ministros da Cultura da Comunidade de Países da Língua Portuguesa (CPLP), que aconteceu na primeira semana de maio, em Salvador (BA). Na ocasião, Freire apresentou aos ministros dos países integrantes do grupo os programas de formação da Fundação Casa Rui Barbosa (FCRB) e do Centro Regional de Formação em Gestão do Patrimônio – Centro Lúcio Costa, coordenado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), ambos vinculados ao MinC.

"Nossa intenção é levar esse conhecimento a outras nações da comunidade que falam nossa língua e aquilo que em nosso País é mais avançado", declarou. A Comunidade de Países de Língua Portuguesa é formada por Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste.

Minc

Nenhum comentário

Amannda Oliveira. Tecnologia do Blogger.