sexta-feira, 29 de março de 2013

Polícia Rodoviária Federal divulga balanço com pontos perigosos das estradas brasileiras


Por conta do grande fluxo nas estradas durante o feriado de Páscoa, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) divulgou um balanço com os trechos mais perigosos das rodovias brasileiras. As estradas mineiras lideram a lista. Só hoje dez pessoas morreram em três acidentes.
Um dos acidentes foi na BR-040. Três pessoas morreram na batida de um carro com um caminhão. A polícia suspeita que o motorista do carro tenha tentado uma ultrapassagem, mas bateu de frente com uma carreta.  Houve mais um acidente com cinco mortos na mesma estrada, que é uma das mais movimentadas do país, liga o Rio de Janeiro a Brasília.
O mapa dos pontos perigosos revela quais são os trechos das estradas em que o motorista deve tomar mais cuidados. Minas Gerais aparece em primeiro, com cinco trechos perigosos em quatro rodovias. Paraná, Santa Catarina, Goiás e São Paulo vêm a seguir com quatro trechos.  Os de São Paulo ficam em uma mesma rodovia, a BR-116, que liga a capital paulista a Curitiba. A Régis Bittencourt atravessa um longo trecho de serra em pista única e com muitas curvas.
Segundo a polícia, a principal causa de acidentes em trechos assim é o comportamento do motorista. A explicação é que muitos motoristas pegam a rodovia e continuam dirigindo como se estivessem dentro da cidade.
Um animal que atravessava a pista na Estrada do Mar, litoral gaúcho, pode ter provocado um acidente que matou quatro pessoas e deixou mais de 20 feridas ontem (27) à noite. Entre os mortos estão duas estudantes de 20 e 22 anos. Ao desviar do animal, o motorista do ônibus que transportava estudantes bateu em um caminhão.
Três carros também se envolveram em uma batida hoje na região serrana do Espírito Santo. Foi na BR-262, no município de Domingos Martins. Segundo a polícia rodoviária, o motorista de um dos veículos, que invadiu a contramão, morreu no local. A mulher e o filho dele ficaram gravemente feridos.
“Nossa prioridade é ultrapassagem proibida, embriaguez ao volante, excesso de velocidade, entre outros itens que serão fiscalizados. Esses três primeiros são os responsáveis pelos acidentes mais graves”, explica Adilson Souza, inspetor da Polícia Rodoviária Federal de Minas Gerais.
Informações: Jornal Hoje

Nenhum comentário:

Postar um comentário