sexta-feira, 13 de julho de 2012

Eu tava desistindo de trabalhar com música, o disco foi lançado para encerrar a minha carreira, diz Herbert Lucena


Um dos nomes mais aguardados pelo nosso Blog Falando Francamente na noite de ontem no palco da Guadalajara foi o cantor e compositor Herbert Lucena.
O cantor que tem 46 anos que nasceu em Recife, mas passou toda sua infância e adolescência em Caruaru, conquistou três prêmios - Melhor Projeto Visual, Melhor Álbum e Melhor Cantor Regional - na 23ª edição do Prêmio da Música Brasileira (MPB 2012).

As indicações foram motivadas pelo álbum “Não me peçam jamais que eu dê de graça aquilo que eu tenho pra vender”, pré-lançado em dezembro do ano passado, nas versões CD e vinil duplo pelo selo Coreto Records, do próprio artista. 

O cd retrata as mais diversas influências do artista como Tavares da Gaita, Azulão e Walmir Silva, além de Jacinto Silva, Jackson do Pandeiro e Ary Lobo.

O que muita gente não sabe é que o cd “Não me peçam jamais que eu dê de graça aquilo que eu tenho pra vender” mudou a vida do cantor e compositor pernabucano.

Blog Falando Francamente: Você trouxe pra Pernambuco três prêmios do Prêmio da Música Brasileira para Pernambuco e esse prêmio fez com que você fosse redescoberto pelo seu estado. Fale um pouquinho sobre isso pra gente.

Herbert Lucena: Esse prêmio chegou pra mim em uma hora muito oportuna, eu estava desistindo de trabalhar com música, eu tinha feito um disco pra encerrar minha carreira em dezembro quando eu lancei este disco e eu tinha feito um disco pra encerrar a carreira mesmo. Esse prêmio chegou na hora certa eu já havia desistido de trabalhae com música por que já tenho 30 trabalhando com música e não tive oportunidade dentro do meu estado e dentro da minha cidade de apresentar o meu trabalho.  Como esse prêmio chegou agora, vários convites começaram a aparecer inclusive esse de me apresentar no Festival de Inverno de Garanhuns que é o sonho de todos que trabalham com música em Pernambuco e eu estou muito feliz com isso, não vou mais desistir de cantar, vou continuar cantando.

Não é fácil trabalhar com música, a música é uma coisa a qual você se dedica o tempo todo, todo dia e eu trabalho com música há 30 anos. Algumas pessoas acham que eu tenho pouco tempo de carreira por ter apenas dois discos gravados, mas já estou na música há trinta anos.

Blog Falando Francamente: O que o público da Guadalajara vai conferir na noite de hoje de Herbert Lucena que aliás vai cantar em casa com muitos amigos em homenagem a Gonzagão?

Herbert Lucena: Luiz Gonzaga é um nome importantíssimo para a música popular brasileira com nomes como Nádia Maia e Petrúcio Amorim que comigo vão referenciar Gonzaga.

Blog Falando Francamente: Hoje nós comemoramos Gonzaga no estado todo por que é ano de centenário, não é necessário continuar um trabalho de valorização do nosso forró o ano todo?

Herbert Lucena: Nós realmente não trabalhamos com a fuleragem music. Quem você vai ver aqui tem compromisso com o que faz. Por que nomes como Nádia, Joquinha e Petrúcio, cantam e vivem isso e mesmo que oficialmente isso não seja referenciado, o fato de se ter aberto este espaço tem feito diferença e a Fundarpe está de parabéns por isso.

Que o nosso governo seja federal  e estadual divulguem e cada vez mais invistam na nossa música e na nossa cultura para que gênios como Herbert Lucena não gravem um cd de despedida por desistir de fazer o que amam por falta de apoio e oportunidade.
Pernambuco é um celeiro de artistas que merecem e devem ser valorizados e divulgados, é preciso sim, brigar pelo que é nosso por que o que é nosso mostra de onde viemos e quem somos.

Amannda Oliveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário