segunda-feira, 21 de maio de 2012

Armazém da Criatividade: celeiro de novas empresas de inovação.


Foto: Andreia Rego Barros

Um importante instrumento para atrair novos investimentos para Pernambuco foi lançado hoje (21) pelo Governo do Estado. O Armazém da Criatividade é a primeira aceleradora de empreendimentos inovadores das regiões Norte e Nordeste e consolida, ao lado do Porto Digital, um grande cluster de tecnologia da informação no Recife. A nova empresa é fruto de uma parceria com o Instituto Talento Brasil (ITB) e a Jereissati Participações.

O Armazém funcionará na Rua Capitão Lima até que o prédio doado pelo Governo do Estado, na Rua da Moeda, fique pronto. As obras no imóvel devem durar dois anos. O Instituto Talento Brasil (ITB) assumirá as despesas da preparação do espaço. Já a Jereissati Participações S/A, ficará responsável por assegurar o financiamento e o fluxo regular de recursos para as empresas.

O espaço servirá como um “ponto de encontro” voltado a receber jovens empreendedores que acabaram de sair das universidades ou que ainda estão em formação. O objetivo desses grupos de trabalho será desenvolver ideias e soluções tecnológicas para grandes desafios empresariais das mais diversas áreas de atuação.

A aceleradora dará aos novos empreendimentos a condição de permanecerem “incubados” por cinco meses no Armazém da Criatividade, oferecendo até R$ 40 mil de capital-semente. Os recursos são para cobrir despesas como internet, telefone e consultoria de negócios. Ao final do processo, as startups (empresas recém-criadas) serão apresentadas para potenciais investidores, como o próprio Instituto Talentos Brasil.

Presidente do ITB, Antônio Barros Filho explicou a escolha do Recife para receber a aceleradora. A expectativa dele é que a capital pernambucana se torne um novo “Vale do Silício” brasileiro. “Realizamos estudos junto à Universidade Mackenzie e identificamos aqui a Califórnia do Nordeste. Existem talentos capazes de desenvolver ferramentas lucrativas do porte de um Google ou um Facebook”, apostou.

O empresário disse ainda que empresas escaláveis – com mais de um produto no seu portfólio – são as mais valorizadas e ressaltou  o caráter empreendedor do Governo do Estado. “O governador talvez seja um dos raros políticos do país com visão e foco em tecnologia”, lembrando a atuação de Eduardo quando ministro de Ciência e Tecnologia do Governo Lula.

O Armazém Criativo começa a funcionar efetivamente em setembro. O processo seletivo das empresas que poderão se instalar no local será feito por meio de editais lançados duas vezes ao ano ou pela demanda específica de empresas que apresentem problemas na sua produção.

Ao discursar no Palácio do Campo das Princesas, Eduardo destacou que Pernambuco tem atraído setores importantes que precisam constantemente de processos inovadores. Ele citou as indústrias siderúrgicas, automotivas, de petróleo, gás e energias renováveis, além do setor de alimentos. “Para essas grandes empresas, ter um centro como esse é tão importante como ter um porto, estradas ou universidades. Elas querem ter a segurança de que vão melhorar a sua produtividade, encontrando soluções para os seus problemas operacionais”, afirmou o governador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário