quarta-feira, 23 de março de 2011

Garanhuns terá PET -Saúde



A idéia surgiu da psicóloga, professora do Curso de Psicologia e coordenadora do Curso de Especialização em Saúde Mental da UPE/ Campus Garanhuns, Marilyn Sena, que propôs, através de um Projeto, submetido ao um edital do Ministério da Saúde, a implantação do Programa no Município devido ao crescente número de usuários de droga e crack especificamente, observado. “Para legitimação do projeto foram necessários constantes diálogos entre a Universidade e a Secretaria Municipal de Saúde, que recebeu muito bem a proposta de se trabalhar Saúde Mental em Garanhuns”, afirmou Marilyn Sena.

A intenção é fazer uma integração entre ensino e serviço de saúde, com a qualificação dos profissionais que estão na rede de saúde do Município e a formação dos alunos. Para tanto, serão disponibilizadas bolsas de educação para professores e estudantes de graduação, que irão trabalhar na qualificação e fortalecimento da Atenção Básica em Saúde Mental, dentro do Sistema Único de Saúde (SUS).

Doze alunos do curso de Psicologia da UPE, sob a tutoria dos professores da mesma Instituição, irão desenvolver atividades com profissionais do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) e do Núcleo de Apoio a Saúde da Família (NASF). De acordo com a coordenadora do PET Saúde, Marilyn Sena, os profissionais irão trabalhar promoção e prevenção a saúde, estigmas, identificação da demanda de transtornos mentais e trabalhar abordagem aos usuários de droga por meio de oficinas, palestras, orientações, capacitação de agentes Comunitários de Saúde, e formação de agentes multiplicadores para fortalecer a Rede de Saúde de Garanhuns.

“Percebemos uma dificuldade na Atenção Básica com relação ao atendimento a usuários de drogas, causada por estigmas sociais em relação ao dependente químico e pela necessidade de qualificação dos profissionais. Nós queremos ser parceiros nessa mudança de olhar e de mentalidade, para construirmos coletivamente o aprimoramento desses profissionais. Simultâneo a isso, nós estaremos proporcionando a formação de alunos no campo da saúde mental, já que no projeto, eles devem realizar trabalhos de pesquisa e extensão, produzindo conhecimento na área de saúde mental”, explica a coordenadora, Marilyn Sena.

PESQUISA - Paralelo a implantação do PET Saúde, também será desenvolvido em Garanhuns o Projeto de Pesquisa e Cuidado na Atenção Básica com Usuários de Crack, coordenado pela professora Paulette Cavalcanti docente da Faculdade de Ciências Médicas do Recife, da Universidade de Pernambuco e Marilyn Sena, coordenadora da área de Garanhuns. Trata-se de um estudo da Rede: Recife e Garanhuns, que pretende mapear a Rede de Saúde do município, conhecer o perfil do usuário nas áreas cobertas por Postos de Saúde da Família (PSF), analisar práticas de cuidados oferecidas a gestantes usuárias de crack, além de reconhecer processos de estigmas que criam barreiras de acesso aos usuários ao serviço. As informações devem começar a ser coletadas em meados do mês de abril.

Segundo a coordenadora, Marilyn Sena, a pesquisa ainda poderá ajudar nos trabalhos desenvolvidos pelo Programa de Educação pelo Trabalho em Saúde, através de dados que servirão para a elaboração de Pesquisa e Extensão de projetos na área de Saúde Mental. “De modo que Garanhuns vai ter subsídios científicos para pensar no fortalecimento e ampliação da rede, além da qualificação dos seus profissionais”, finaliza a Coordenadora.  

A Universidade de Pernambuco (UPE), com o apoio da Prefeitura de Garanhuns, implantará no município no próximo mês de abril, o Programa de Educação pelo Trabalho em Saúde (PET Saúde). Trata-se de uma iniciativa do Ministério da Saúde, que beneficiará o município de Garanhuns através de atividades junto aos profissionais que trabalham com saúde mental, no combate ao crack, ao álcool e a outras drogas ilícitas.

Informações - Prefeitura de Garanhuns

Nenhum comentário:

Postar um comentário