Garanhuns participa de mobilização nacional contra o Aedes aegypti

Aproximadamente 240 militares do 71° Batalhão de Infantaria Motorizado (71° BIMtz), divididos em seis pelotões, participaram da ação junto aos profissionais de saúde

Foto: Ruthe Santana

O município de Garanhuns, localizado no Agreste Meridional do Estado, esteve, nesse sábado (13), inserido na mobilização nacional de combate ao Aedes aegypti, intitulada “Dia Nacional do Esclarecimento”. Em todo o país, a estimativa era de que aproximadamente três milhões de famílias, distribuídas em 350 municípios, fossem visitadas em suas casas. As Forças Armadas deslocaram mais de 200 mil militares para que acompanhassem os agentes de saúde nesse trabalho de conscientização. A ação aconteceu, simultaneamente, em 27 estados do país.

Em Garanhuns, a ação iniciou às 8h, quando os profissionais da saúde já estavam, junto aos mais de 200 militares, distribuídos nos bairros da cidade que registraram maior índice de infestação predial. Em caráter mobilizador, as atividades tiveram o objetivo principal de intensificar a conscientização da população no papel de erradicar os criadouros do mosquito transmissor da dengue, febre chikungunya e do Zika vírus. Durante todo o dia, foram distribuídos materiais informativos, com explicações sobre as medidas de prevenção e orientações sobre a importância do envolvimento de todos os garanhuenses na eliminação dos criadouros do mosquito.

Ainda pela manhã, o prefeito de Garanhuns Izaías Régis, acompanhado do secretário municipal de Saúde, Alfredo de Góis, do presidente da Autarquia Municipal de Segurança, Trânsito e Transporte (AMSTT), coronel Emanuel Leite, e do secretário de aeroportos da Secretaria de Aviação da Presidência da República, Leonardo Cruz, esteve reunido com os soldados do 71° Batalhão de Infantaria Motorizada (71°BIMtz). Em seguida, o chefe do poder executivo, juntamente ao efetivo militar seguiram ao aeroporto da cidade, a fim de recepcionar o comandante do Exército Brasileiro, general Villas Bôas e o comandante militar do Nordeste, o general de Exército Pafiadache, que vieram presenciar a ação em Garanhuns.

Na ocasião, o prefeito Izaías Régis falou sobre a importância da participação dos militares nessa ação e a relevância da população nesse combate. “O Exército tem sido realmente um grande parceiro nessa luta. Porém, nós sabemos que sozinhos não conseguimos vencê-la. Por isso sempre colocamos que a população é o agente principal nesse processo. Então pedimos a parceria de todo os garanhuenses, para que permitam que os agentes entrem em suas casas. E não só isso, mas que cada cidadão faça a sua parte diariamente em sua residência”, reforçou Izaías.

A campanha visa, sobretudo, convocar a população a fazer parte do esforço em combater o mosquito. “Estou bastante satisfeito em ver a dedicação de todos os profissionais de saúde que estão envolvidos e, claro, dos militares do Exército, nesse momento delicado que estamos vivenciando em nosso país. Poder presenciar essa mobilização me alegra, pois acredito que dessa forma conseguiremos também chamar a atenção de toda a população. Estou feliz pelo esforço que estamos fazendo, mas ainda peço a compreensão e envolvimento de toda a população diante do importante papel que cada um representa nessa causa”, finalizou o secretário de Saúde de Garanhuns, Alfredo de Góis.
Em Garanhuns, a ação foi realizada de forma conjunta entre o 71° Batalhão de Infantaria Motorizado (71° BIMtz) e a Prefeitura de Garanhuns, por meio da Secretaria Municipal de Saúde. A mobilização contou, também, com o apoio da Secretaria de Assistência Social e da V Gerência Regional de Saúde, entre alguns órgãos responsáveis pela segurança pública.

COMO ELIMINAR CRIADOUROS: Para erradicar o Aedes aegypti e todos os seus possíveis criadouros, o Ministério da Saúde recomenda à população a adoção de uma rotina com medidas simples para eliminar recipientes que possam acumular água parada. Quinze minutos de vistoria são o suficiente para manter o ambiente limpo. Pratinhos com vasos de planta, lixeiras, baldes, ralos, calhas, garrafas, pneus e até brinquedos podem ser os vilões e servir de criadouros para as larvas do mosquito. Outras iniciativas de proteção individual também podem complementar a prevenção das doenças, como o uso de repelentes e inseticidas para o ambiente.

Ruthe Santana

Nenhum comentário

Amannda Oliveira. Tecnologia do Blogger.