Foto: Amannda Oliveira

Um dos mais importantes festivais de cultura e arte do Brasil, o Festival de Inverno de Garanhuns (FIG), que este ano chega à sua 30ª edição, contou com mais de duas mil inscrições artísticas. Ao todo, 2.082 propostas, de várias regiões do Brasil, foram submetidas na convocatória pública para participação na programação do FIG 2022. Com inscrições em formato on-line, os destaques ficaram no alto número de propostas apresentadas nos segmentos da Cultura Popular (352) e Música (963)

O FIG 2022 é promovido pelo Governo de Pernambuco, por meio da Secretaria Estadual de Cultura (Secult-PE) e da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), em parceria com a Prefeitura de Garanhuns. A publicação do resultado final das propostas classificadas será divulgada até o dia 23 de maio. O 30º FIG acontece durante 10 dias do mês de julho.

“Um comparativo é que, em 2019, tivemos 190 inscrições do segmento Cultura Popular. Este ano o número de inscritos quase dobrou, subindo para 352, o que demonstra a conexão com a realidade digital que o segmento vem tendo, além do êxito do formato de inscrições on-line, que facilita e democratiza o acesso dos grupos e artistas pernambucanos da cultura popular”, celebra Oscar Barreto, secretário de Cultura de Pernambuco.

Para Severino Pessoa, presidente da Fundarpe, o número de inscrições no FIG reforça a importância que o festival tem na cadeia cultural do Estado. “A expectativa é de realizarmos um grande reencontro com este festival que é um dos procurados do Brasil, e que é um retrato da força da produção artística do País”, destaca.

Além de Cultura Popular e Música, as inscrições foram realizadas em outros segmentos como Artes Visuais, Audiovisual, Circo, Dança, Design e Moda, Fotografia, Gastronomia, Literatura, Patrimônio Cultural e Teatro.

“O Festival de Inverno de Garanhuns está marcado na história de Pernambuco. Além de ser um dos grandes festivais nacionais, é um evento multilinguagem e diverso onde o Estado recebe o Brasil. E receber artistas e grupos de todo País, nestes 30 anos, é muito significativo porque Pernambuco quer abraçar este país e rever a cultura da rua”, comemora André Brasileiro, coordenador geral do FIG 2022.

HABILITAÇÃO – As propostas inscritas serão avaliadas em duas etapas. Na primeira, que é a análise preliminar, é verificado o cumprimento de todas as formalidades do edital.

Esta etapa consiste na apreciação da documentação anexada ao Formulário de Inscrição de cada segmento artístico-cultural e na verificação do cumprimento de todas as formalidades descritas neste Edital e será realizada por equipe técnica composta por servidores e colaboradores vinculados à Fundarpe. O resultado gera propostas habilitadas e inabilitadas (que ainda poderão recorrer da decisão).

Num segundo momento, será feita análise artístico-cultural, que consiste na avaliação de mérito do conteúdo das propostas habilitadas na Análise Preliminar. As análises serão feitas por comissões constituídas de profissionais com experiência comprovada em suas áreas de atuação. As propostas serão avaliadas de acordo com critérios e aspectos norteadores previstas no edital, sendo atribuídas notas para cada proposta habilitada.

Entre as cláusulas do edital de convocação artística, destaca-se o item que condiciona a realização do evento e consequente contratação de artistas e grupos selecionados aos protocolos que controlam a realização de atividades em espaços públicos, conforme definição das autoridades sanitárias.

A listagem com as propostas classificadas na análise artístico-cultural será disponibilizada no Prosas e no Portal Cultura.PE (www.cultura.pe.gov.br), bem como no Diário Oficial do Estado.

ATENDIMENTO - No sentido de facilitar o acesso a esclarecimentos sobre o edital aos artistas e grupos interessados em participar da programação, a Secult-PE/Fundarpe criou um canal de atendimento e esclarecimento pelo WhatsApp por meio do telefone (81) 3184.3018 (Clique AQUI e acesse o atendimento pelo Web Whatsapp).

Informações: Fundarpe