terça-feira, 18 de maio de 2021

Secult-PE transmite live “Na trilha dos Pífanos”


O programa “Diálogos Culturais em Rede”, vinculado à Secretaria de Cultura de Pernambuco (Secult-PE), promove na próxima terça-feira (18), a partir das 19h, a live “Na Trilha dos Pífanos”. Com transmissão ao vivo pelo canal youtube.com/secultpe, o bate-papo vai mostrar a tradição das bandas de pífano, e toda a cultura sertaneja que elas carregam, é ainda muito forte em Pernambuco. Entre os convidados da live, estão o produtor cultural Amaro Filho, que conduziu todo estudo dos pífanos, pela Página 21, e o tocador, professor, luthier Marcos do Pífano, que também prestou informações valiosas para o inventário dos pífanos. A mediação será feita por Marcelo Renan, coordenador de Patrimônio Imaterial da Fundarpe.

MAPEAMENTO - Pelo menos 82 bandas ainda estão em atividade, espalhadas por municípios do Agreste e Sertão do Estado. O mapeamento foi possível graças ao esforço e dedicação da produtora cultural Página 21 que, nos últimos dez anos, vem desenvolvendo uma substanciosa pesquisa e mapeamento sobre essas bandas.

Neste período, projetos lançados pela produtora – livros, CDs, apresentações, atividades de formação, circulação de artistas e um site – constituíram num acervo documental sobre a cultura dos pífanos que embasou um pedido para seu reconhecimento como Patrimônio Imaterial de Pernambuco e também Patrimônio Cultural do Brasil.

No primeiro caso, a solicitação foi acatada em março deste ano, pela Fundarpe. A expectativa é que, no início do segundo semestre, a Fundarpe encaminhe para o Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio, o pedido para que as bandas de pífano sejam tituladas Patrimônio Imaterial de Pernambuco.

Na última semana, a comunidade pifeira de Pernambuco comemorou também a abertura do processo de registro em nível federal. A candidatura dos pífanos pela Página 21, que contou com o apoio da Fundarpe e do Iphan Pernambuco, foi aceita na 27ª reunião da Câmara Técnica do Patrimônio Imaterial do Iphan.

“Saber mais sobre essa pesquisa, que se aprofundou na tradição dos pífanos, as influências de culturas indígenas e africanas que carregam e as diferenciam em relação aos cânticos, coreografias e percussão, é o objetivo dessa conversa”, conta Michelle Assumpção, uma das responsáveis pela programação do “Diálogos Culturais em Rede”.

Serviço
Live “Na trilha dos Pífanos”, com Amaro Filho, Marcos do Pífano e Marcelo Renan
Quando: 18 de maio de 2021 (terça-feira), às 19h
Transmissão pelo canal: youtube.com/secultpe

Nenhum comentário:

Postar um comentário