quarta-feira, 21 de abril de 2021

Música pernambucana de luto. Morre o cantor Augusto César morre aos 61 anos

Foto:Divulgação

O cantor e compositor pernambucano Augusto César morreu na noite dessa terça-feira (20), no Recife. O artista tinha 61 anos e estava internado no Hospital Hapvida da Caxangá, na Zona Oeste da capital pernambucana. De acordo com a família, a morte do pernambucano foi causada por uma insuficiência renal, agravada pelo quadro de diabetes e também por complicações da Covid-19. Augusto deixa quatro filhos e dois netos.

Após passar mal em casa, o artista foi levado a uma unidade de saúde, mas depois encaminhado ao Hapvida da Caxangá, na segunda-feira (20), onde estava internado. De acordo com informações da equipe do cantor, o quadro de diabetes de Augusto César estava descontrolado. Ele chegou inconsciente ao hospital e foi encaminhado para a ala semi-intensiva.

O cantor sofria de problemas renais e convivia com a diabetes há mais de 10 anos. Segundo os familiares, ele também recebeu diagnostico positivo para a Covid-19. Por conta do novo coronavírus, o artista também chegou a ter insuficiência respiratória, o que teria agravado seu estado de saúde.

Na noite dessa terça (21), a equipe de Augusto César confirmou o diagnostico do cantor para a Covid-19. "Augusto tem diabetes e foi confirmado para a Covid-19, causando comprometimento dos rins". Até aquele momento, segundo equipe, o quadro do artista era estável. No mesmo dia, no entanto, o cantor teve várias paradas cardiorrespiratórias e não resistiu. Segundo a equipe, o artista disparou "Estou indo fazer o show", sendo essas suas últimas palavras antes de partir.

A morte de Augusto César foi confirmada à equipe por volta das 2h. Ele deixa quatro filhos e dois netos. A previsão é de que o enterro do cantor aconteça às 19h desta quarta, no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, na Região Metropolitana.

Com 35 anos de trajetória na música, Augusto César era conhecido pelo carisma que esbanjava nas ruas. A voz marcante que deu vida a sucessos no brega romântico, como "Ela vai ter que decidir", "Como posso te esquecer", "Escalada" e "Amor de Verdade", era reconhecida por onde passava. 

Nota da blogueira

A primeira vez que vi Augusto César ele se apresentava na calçada da Igreja que fica vizinha a Praça do Diário no Recife. Na época , eu morava lá e corria de um ônibus para o outro indo para o trabalho. Lembro que o vozeirão dele me faz desacelerar e me peguei parada lá ouvindo aquela voz. Era assim que dias a fio ele vendia seus discos, tirava foto com as pessoas, sempre muito simpático e atencioso. Um grande artista que lutava pra viver de música. 

Informações : Diário de Pernambuco

Nenhum comentário:

Postar um comentário