terça-feira, 9 de fevereiro de 2021

RENNA lança seu “Lamento de força travesti”

Foto: Anderson Dinho

Evocando ao mesmo tempo a dor e a força travesti, a transartivista catarinense radicada em Pernambuco RENNA lança seu primeiro videoclipe nesta segundafeira (8/2). Com participação da multiartista Gabi Benedita e direção da própria RENNA, “Lamento de força travesti” mistura o ritual do luto com a insurgência dos corpos dissidentes e a celebração da vida, em imagens gravadas no Vale do Catimbau, no Sertão de Pernambucano. 

Se, por um lado, o clipe assume o tom de denúncia da realidade trágica da transfobia em cenas de túmulos, velas e enterro, por outro, é afirmação da própria potência da vida. Acompanhadas das também travestis Irla Carrie, Samantha Fox e Vinn Amara, RENNA e Gabi Benedita se armam e se amam. Ora vestidas para o combate – em figurino que faz referência direta ao cangaço – ora pisando juntas o barro usado na construção de uma casa de taipa, a sororidade se expressa numa atmosfera de acolhimento e de construção de um mundo onde elas possam “envelhecer e cantar a beleza do corpo marcado de uma travesti”, como diz a letra, composta por Helen Maria. 

A paisagem do Sertão do Moxotó imprime uma estética rural ao clipe, que se soma a alusões fortes do imaginário da cultura popular pernambucana – como as novenas, as rezadeiras e benzedeiras, os santos milagreiros e as brincadeiras do Jaraguá e das Veinhas de Triunfo. A tradição sertaneja, uma das marcas do trabalho de RENNA, no entanto, não abre mão de uma pegada pop dançante e eletrônica contemporânea, que bebe desde o funk ao maculelê, passando pelo coco, vogue e pelo forró rabecado. A força do clipe está, dentre outros elementos, numa fotografia precisa e numa montagem acelerada que compila performances repletas de simbologias.

 A imagem de uma travesti de manto branco e coroa de arame farpado remete diretamente a personagens bíblicos, já a sequência final, em que RENNA e Benedita jogam areia sobre seus próprios corpos, aponta para o desejo e a necessidade de enterrar tudo aquilo – entre opressões e masculinidades impostas – que não lhes servem mais. Entrevistas Além do videoclipe, que contou com o incentivo da Lei Aldir Blanc, também faz parte desse projeto a série “O Sonho Dela”. O material complementar ao lançamento de “Lamento de força travesti” é composto por nove minientrevistas gravadas com travestis que respondem sobre como se veem e sonham o futuro. O material também está publicado no perfil de RENNA. @Costadarenna.

Parta conferir o videoclipe clique AQUI.

Informações: Assessoria de Comunicação

Nenhum comentário:

Postar um comentário