quinta-feira, 11 de abril de 2019

Saúde da População LGBT: Hormonoterapia é tema de formação em saúde

Videoconferência será transmitida para profissionais nas 12 Gerências Regionais de Saúde

Na perspectiva da formação continuada para trabalhadores da saúde, a coordenação estadual de Atenção Integral à Saúde da População LGBT da Secretaria Estadual de Saúde (SES) promove, na próxima quinta-feira (11), das 8h às 12h, no auditório da SES, videoconferência para abordar o temaHormonoterapia para Pessoas Travestis e Transexuais na Atenção Primária à Saúde no Estado de Pernambuco. A formação tem o intuito de ampliar a Rede de Atenção à Saúde para esta população, desenvolvendo diálogo com os serviços de saúde que atuam no acolhimento e cuidado integral, além de promover o respeito à diversidade. O debate é voltado para profissionais da rede básica que compõem as Equipes de Saúde da Família e será mediado pelo médico Rodrigo de Oliveira, que atualmente é responsável pelo serviço ambulatorial LGBT Patrícia Gomes, na Policlínica Lessa de Andrade, no Recife, sendo transmitido simultaneamente para as 12 Gerências Regionais de Saúde (Geres).

"O grande desafio é a garantia do acesso ao serviço por todas as pessoas que necessitam deste cuidado. Nosso entendimento é que podemos contribuir para produção de conhecimento sobre saúde integral de LGBTs no Estado por meio da qualificação dos níveis de atenção e por isso convidamos os profissionais a se aproximarem desse conhecimento técnico para viabilizarmos tomadas de decisões equânimes e efetivas", pontua o coordenador de Saúde Integral da População LGBT, Luiz Valério.

"A implementação do processo transexualizador no SUS, que regulamenta os procedimentos para a readequação sexual, se insere no contexto da Política Nacional de Saúde Integral LGBT. Entende-se que é preciso construir uma relação de confiança entre profissional de saúde e usuário desde a sua chegada no serviço, sobretudo ressaltando a importância do aspecto da territorialidade para oferta e continuidade dos tratamentos", afirma o médico Rodrigo de Oliveira. O evento tem apoio da Coordenação Municipal de Saúde LGBT Recife.

Pernambuco é o primeiro estado do Nordeste a implantar uma política de saúde específica para a população LGBT, normatizada por meio de portaria. Ainda em 2012, foi instituído o Comitê Técnico de Saúde Integral da População de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais de Pernambuco, formado por representantes da sociedade civil, do controle social e da gestão estadual a fim de acompanhar as discussões na área da saúde. A partir disto, foi elaborado o texto da Política Estadual de Saúde de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais, publicada por meio da portaria nº 060, em 2015. Representa um dos eixos prioritários da SES no intuito de garantir equidade na atenção à saúde integral para esta população, além de ampliar e qualificar a rede de serviços do SUS.

"Isto vem sendo realizado de forma contínua e sistemática por meio de formações e qualificações dos profissionais municipais de saúde dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família e das visitas às 12 Gerências Regionais de Saúde (Geres), unidades administrativas da SES, responsáveis por uma parte das cidades, atuando de forma mais localizada na atenção básica. Como o foco é o processo de descentralização dos serviços de saúde para população LGBT e a compreensão da responsabilidade sanitária de cada ente federativo, a SES vem trabalhando no intuito ampliar a rede de cuidado e atenção", afirma Luiz Valério.

ASCOM

Nenhum comentário:

Postar um comentário