sexta-feira, 5 de abril de 2019

Polysom lança "Paêbirú", o LP mais raro do Brasil que reúne Zé Ramalho e Lula Côrtes


Em meados de 1974, Zé Ramalho se juntou a Lula Côrtes para gravar o LP duplo “Paêbirú”. A obra foi inovadora em sua época ao ser uma das primeiras a fundir rock e ritmos nordestinos, além de ter realizado essa fusão com reconhecida competência. O álbum duplo — vinil mais raro do Brasil — agora volta às lojas em discos de 180 gramas, num lançamento especial da Polysom em parceria com a Rozenblit, pela coleção “Clássicos em Vinil”.

À época 1300 unidades do disco foram produzidas, porém cerca de 1000 se perderam em uma enchente que atingiu a fábrica recifense Rozenblit, em 1975. Só esse fato já faria de “Paêbirú” um disco disputado, mas o seu sucesso entre a crítica nacional e internacional foi tão grande que colecionadores passaram a procurar exaustivamente cada um dos valiosos exemplares remanescentes — havendo poucos em bom estado de conservação. A novidade que chega pela Polysom se destaca por contar com fabricação moderna que garante excelente qualidade sonora e remasterização feita a partir dos tapes originais pelo próprio Hélio Rozenblit, que gravou o disco à época.

Espécie de 'psicodelia nordestina', o álbum duplo é dividido em quatro lados, de acordo com os elementos “Terra”, “Ar”, “Fogo” e “Água”. Ele foi inspirado por uma viagem da dupla de artistas pelo interior da Paraíba até a Pedra do Ingá, sítio arqueológico rodeado de lendas e fama mística. Com os mais diversos instrumentos utilizados e improvisados durante a produção do registro, destaca-se a participação de nomes como Alceu Valença, que toca pente, e de Zé da Flauta, entre outros ícones da música brasileira.

Marcus Cesar

Nenhum comentário:

Postar um comentário