terça-feira, 26 de março de 2019

Governo de Pernambuco lança novo edital do Patrimônio Vivo de Pernambuco

Seleção, cujas inscrições irão até 10 de maio, deverá escolher mais seis artistas ou grupos de reconhecida relevância para a cultura do estado.


O Governo de Pernambuco, por meio da Secretaria Estadual de Cultura (Secult-PE) e da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), está lançando o edital de inscrições para concorrer ao título de Patrimônio Vivo do Estado. O 14º Concurso do Registro do Patrimônio Vivo do Estado de Pernambuco – RPV-PE é destinado para pessoas físicas ou jurídicas e a seleção – ao final do processo são eleitos seis novos Patrimônios Vivos – resultará na concessão de uma bolsa de incentivo financeiro por parte do Governo Estadual. O valor é R$ 1.6000 (um mil e seiscentos reais) para pessoa física, ou seja, mestres ou mestras da cultura de Pernambuco; e R$ 3.200 (três mil e duzentos reais) para pessoa jurídica, ou seja, grupos tradicionais da cultura do estado. As inscrições poderão ser realizadas presencialmente, na sede da Secult-PE/Fundarpe, ou por correspondência, até o dia 10 de maio.

O incentivo financeiro concedido pelo Governo às pessoas e grupos da cultura visa reconhecer, estimular e proteger iniciativas que contribuem para o desenvolvimento sociocultural e profissional dos mestres e das mestras e grupos de notório saber, “almejando a transmissão de seus conhecimentos e de suas técnicas para alunos (as) ou aprendizes, através de programas de ensino e aprendizagem apoiados ou executados diretamente pela Secult-PE e Fundarpe”. Os candidatos não necessariamente precisam ser pernambucanos, mas precisam comprovar a sua atuação no Estado há, pelo menos, 20 anos.

A candidatura de um artista ou grupo não pode ser feita por eles próprios, mas por uma entidade que os represente. A entidade proponente da candidatura por ser: a Assembleia Legislativa do Estado de Pernambuco; entidades sem fins lucrativos, ligadas à cultura e sediadas em Pernambuco há pelo menos 02 (dois) anos; e as câmaras de vereadores dos municípios pernambucanos.

“Ao passo que cabe ao Estado o reconhecimento e a proteção de um Patrimônio Vivo, cabem aos titulados um compromisso também com a transmissão dos seus saberes. Temos, na programação de diversas ações da Fundarpe, ao longo de todos esses anos de existência desse programa, um número expressivo de ações que envolvem a participação dos nossos Patrimônios Vivos. Estamos certos de que sem esse reconhecimento oficial, muito dos nossos saberes e de nossas tradições estariam caindo no esquecimento. É uma honra pro Governo garantir essa premiação”, avalia o presidente da Fundarpe, Marcelo Canuto.

O secretário Estadual de Cultura, Gilberto Freyre Neto, aponta que o registro dos Patrimônios Vivos vem, a cada ano, destacando e trazendo para a vitrine figuras importantíssimas que contribuíram para a construção de nossa identidade cultural. “São artistas das mais variadas linguagens, artesãos e artesãs, músicos, cineastas, criadores geniais de nossas tradições que, em muitos casos, estavam esquecidos e passam a fazer parte das ações, dos encontros, dos debates, contribuindo para formação das novas gerações e fortalecendo manifestações, práticas e saberes do nosso povo que não podemos deixar pra trás”.

Clique AQUI para conferir o edital.

Informações: Fundarpe

Nenhum comentário:

Postar um comentário