terça-feira, 1 de janeiro de 2019

Jair Bolsonaro toma posse como 38.º Presidente da República do Brasil

                                                        Foto: Cleia Viana/Agência Câmara

Em seu primeiro discurso após tomar posse no Congresso Nacional, o presidente da República, Jair Bolsonaro, destacou que vai combater a à corrupção e à criminalidade, acabar com a irresponsabilidade econômica e a com submissão ideológica mandando recado direto aos seus adversários.
O discurso ocorreu logo após Jair Bolsonaro e seu vice, Hamilton Mourão, fazerem o juramento constitucional e assinarem o termo de posse diante de deputados, senadores, representantes dos outros poderes da República e de outras autoridades.
"Convoco, cada um dos Congressistas, para me ajudarem na missão de restaurar e de reerguer nossa Pátria”. Para Bolsonaro, o momento é propício para reconstruir o País e resgatar a esperança dos brasileiros, afirmou.
Reforçando os compromissos assumidos durante a campanha eleitoral, o novo presidente afirmou que seu governo vai trabalhar para unir o povo e valorizar a família, com respeito às religiões e à tradição judaico-cristã, combatendo a ideologia de gênero e conservando valores. “Reafirmo meu compromisso de construir uma sociedade sem discriminação ou divisão”, ponderou.
Crescimento
Para garantir o crescimento econômico, a pauta será norteada pelo livre mercado internacional e pelo compromisso com o teto dos gastos. “O governo não gastará mais do que arrecada e na garantia de que as regras, os contratos e as propriedades serão respeitados”, disse.
Na visão do presidente, o setor agropecuário continuará desempenhando papel decisivo, em harmonia com a preservação do meio ambiente. Os desafios serão resolvidos, acrescentou Bolsonaro, "mediante um verdadeiro pacto nacional entre a sociedade e os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário”.

Democracia

Ao prometer proteger e revigorar a democracia brasileira, com respeito ao Estado Democrático de Direito, Bolsonaro defendeu a construção de uma nação mais justa por meio do rompimento com práticas que macularam a política e atrasaram o progresso. Agora “O Brasil será visto como um País forte, pujante, confiante e ousado”, disse.
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasi

No seu discurso após receber a faixa presidencial no Parlatório, no Palácio do Planalto, ele disse que suas ações serão norteadas pela Constituição.


Por conseguir formar um governo com ministros técnicos, capazes de ajudar na transformação do Brasil, será possível colocar os interesses dos brasileiros em primeiro lugar. “Os favores politizados, partidarizados devem ficar no passado, para que o governo e a economia sirvam de verdade a toda Nação”, afirmou.
Em seu discurso, pediu que a sociedade não permita que “ideologias nefastas”, que destroem valores, tradições e o alicerce da sociedade, dividam os brasileiros. “Podemos, eu, você e as nossas famílias, todos juntos, restabelecer padrões éticos e morais que transformarão nosso Brasil”, disse. 

Segurança e educação

Para Bolsonaro, é urgente acabar com a ideologia que defende bandidos e criminaliza policiais. ”Nossa preocupação será com a segurança das pessoas de bem e a garantia do direito de propriedade e da legítima defesa, e o nosso compromisso é valorizar e dar respaldo ao trabalho de todas as forças de segurança”, ressaltou.

Como uma das promessas de seu governo, o presidente afirmou que o País vai priorizar a educação básica, diminuindo a desigualdade social. “Temos que nos espelhar em nações que são exemplos para o mundo e que, por meio da educação, encontraram o caminho da prosperidade”, afirmou.

Ao encerrar seu discurso, disse: “a nossa bandeira nunca será vermelha. Só será vermelha se precisar do nosso sangue para mantê-la verde e amarela.

Informações: Planalto

Nenhum comentário:

Postar um comentário