domingo, 22 de julho de 2018

Vertin Moura traz o show " Pássaro Só" ao Festival de Inverno de Garanhuns

Foto: Antonio Gama

O cantor, ator e compositor arcoverdense, Vertin Moura, se apresenta no Festival de Inverno de Garanhuns, neste domingo, 22 de julho. Vertin traz ao Som da Rural, o seu mais novo disco intitulado "Pássaro Só" que conta com participações de Giovanna Colucci e Rafaela Romam. 

Nadando contra a corrente das superproduções, a aposta do artista é na simplicidade dos arranjos e na naturalidade do processo de gravação caseira. O resultado é um álbum repleto de originalidade e força que gira exclusivamente em torno de um “eu-cantor” e de um “eu-violonista”. Gravado quase todo na casa do artista no Recife e predominantemente ao vivo, Pássaro Só revive o processo corajoso de registro experimentado por nomes inesquecíveis da música pernambucana, a exemplo do poeta, compositor e violonista Zeto. 

“Quando idealizei o álbum, pensei em uma proposta intimista, em cantar as canções próximas de como elas são produzidas. No caso, eu e meu violão. O aparato do megashow, a banda, a grande equipe técnica, tudo isso foi deixado de lado na ideia de levar uma forma crua, visceral de fazer música”, diz. Dessa forma, Vertin recorre às próprias asas para se lançar em voo solo, colocando-se como cantor, compositor e violonista (único instrumento usado em palco no show). 

“Chamo espetáculo porque me dediquei a levar para o palco minha vivência cênica, que se tornou o conceito do trabalho. Então, cada vez que as ideias viravam roteiro, se materializavam, eu começava a entender que o álbum/show estava conectado ao teatro. A performance, a luz, o figurino, o roteiro das canções transformaram-se na grande aparelhagem para o show Pássaro só acontecer”, completa Vertin, que também é ator e integrou os elencos de filmes como Big Jato de Claudio Assis e mais recentemente da série 3%, sucesso internacional pela plataforma Netflix . 

Sobre o artista 

Vertin começou sua carreira artística, no início dos anos 2000, depois da ocupação da Estação Ferroviária de Arcoverde-PE, hoje Estação da Cultura, realizada por artistas locais. Ali integrou o grupo de teatro “A gente Construindo”. Como a gênesis de um processo de transformação, a ocupação significou o marco zero do surgimento e demarcação das produções que aconteciam na cidade. Em seguida, lançou-se como músico e compositor ao lado de um dos cinco artistas com quem ocupou o galpão da antiga estação de trem, seu irmão mais velho Helton Moura, que formulou, com Vertin e Alex Nicolas (Olinda-PE),a banda Helton Moura. Depois veio o grupo Cambaio, estreando com o CD Maquete Sonora 2009. Filhosofia, primeiro disco do artista, com lançamento independente em 2012, construiu-se da experiência de shows pelo estado de Pernambuco, da vivência no teatro da Estação da Cultura em Arcoverde, da efervescência em que o movimento dos grupos contemporâneos Cordel do Fogo Encantado, Samba de Coco Raízes, Cobaias do Sisal, Maria Joana se encontravam, e sobretudo da inserção na academia de Filosofia. Considerado pela imprensa de Pernambuco como "destaque/revelação" do Festival de Inverno de Garanhuns 2013, e intitulado de "o novo nome" da música de Pernambuco em 2014, irrompeu deste processo parcerias com os músicos Lirinha, Almério, Juliano Holanda, entre outros, marcadas por apresentações ao longo de sua jornada, fazendo culminar no lançamento do single De alma, corpo, mente e coração (2014) com participação de Marcelo Jeneci. 

Vertin se apresenta no Som da Rural as 22h30.

Informações: Amannda Oliveira/ ASCOM


Nenhum comentário:

Postar um comentário