segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Buena Vista Social Club ganha segundo disco de estúdio


Em 1997, um grupo de músicos e intérpretes cubanos saíram do ostracismo para os palcos do mundo inteiro, com o disco e filme   Buena Vista Social Club, de Wim Wenders, Oscar de Melhor Documentário. Com direção musical do guitarrista americano Ry Cooder, e do cubano Juan de Marco Gonzalez, o álbum, foi gravado em apenas seis dias, e tornou-se um sucesso surpreendente, vendeu oito milhões de cópias, um recorde difícil de ser superado por um disco de world music.

Agora o jornal inglês The Guardian anuncia um segundo álbum de estúdio  do Buena Vista Social Club, com  Ibrahim Ferrer, Rubén González, Cachaíto López, Guajiro Mirabal, Eliades Ochoa, Omara Portuondo, and Compay Segundo.  Com lançamento previsto para março, o novo disco, intitulado Lost and found  (World Circuit Records/Nonesuch), é formado por sobras das sessões do álbum de 18 anos atrás.

As canções que sobraram passaram todos estes anos em arquivos, até que o pessoal parou para ouvir e descobriu que há nas fitas material de tão boa qualidade quanto o que foi lançado em 1997. Depois do disco lançado, os sobreviventes do BVSC, com parte dos músicos que tocou no disco, fazem uma turnê pela Europa, Austrália e América latina.
Das estrelas do Buena Vista Social Club apenas Omara Portuondo (81 anos), continua no grupo. Compay Segundo, morreu em 2003, Ibrahim Ferrer e Rubén González, em 2005, e Cachaito, em 2009.

Coluna Toques

Nenhum comentário:

Postar um comentário