terça-feira, 21 de outubro de 2014

Maria Paula, coreógrafa do Grupo Grial ministra oficina em Ferreiros

A bailarina e coreógrafa do Grupo Grial, Maria Paula Costa Rêgo, vai ministrar nos dias 26 de outubro e 02 de novembro uma oficina de dança no município de Ferreiros, localizado na Zona da Mata Norte de Pernambuco. A oficina faz parte do Movimento Mergulhão, um projeto que está revitalizando o cavalo-marinho na cidade. Jovens e crianças estão participando de oficinas de música, canto, dança, poesia e figurino, todas elas relacionadas ao folguedo.
De acordo com Maria Paula, os elementos da cultura popular, como a dança, a música e o teatro traz um crescimento pessoal para os participantes do projeto. "Acredito muito na arte como instrumento de crescimento pessoal. A arte trata do que há de espirituoso no ser humano, abrindo as ideias, amadurecendo quem com ela tem contato”, afirmou a coreógrafa.
A oficina visa aprimorar os movimentos corporais da “galantaria”, apresentação do folguedo que faz várias evoluções coreográficas e na maioria das vezes usam arcos de fitas coloridas. “A galantaria é uma dança de movimentos muito ricos. A partir dos movimentos existentes na parte dos galantes, podemos transmitir qualquer outra história dançada”, explicou Maria Paula.

Serviço:
Oficina de Dança com Maria Paula da Costa Rêgo
Dias : 26/10 e 02/11
Local: Centro Cultural Manoel Pitunga.
Endereço: Rua São José, s/n - Centro - Ferreiros/PE
Horário: Manhã e Tarde
Movimento Mergulhão - O município de Ferreiros, localizado na mata norte de Pernambuco, recebeu recursos do Governo Federal, através do Ministério da Justiça para revitalizar o cavalo-marinho na cidade, que se encontra extinto e existe apenas na memória de alguns mestres e fazedores da cultura popular. Em parceria com a Prefeitura de Ferreiros, as crianças e jovens do município estão tendo oficinas de música, canto, dança, poesia e figurino. “A proposta do projeto além de revitalizar o folguedo, é também mobilizar com ações educativas de preservação, valorização e atividades de incentivo as várias manifestações artísticas incorporadas ao cavalo-marinho”, explica a coordenadora pedagógica e geral do projeto, Michele Brito.

Cavalo Marinho - Variante do bumba-meu-boi, o cavalo-marinho é um folguedo folclórico tradicional da Zona da Mata Norte de Pernambuco, composto por música, dança, poesia, coreografia, loas e toadas. O cavalo-marinho reúne cerca de 77 personagens do imaginário popular que se classificam em humanos, animais e fantásticos. A música e o canto fazem parte de toda a trama e são executadas pela orquestra do folguedo conhecida como “banco” que é composto pelos seguintes instrumentos: rabeca, pandeiro, reco-reco ou baje e ganzá. Os membros do banco são os responsáveis por todo o roteiro do cavalo-marinho, são eles que chamam os personagens para a apresentação, cantam e tocam todas as sequências da apresentação do folguedo.

Fabíola Veloso
Assessoria de imprensa

Nenhum comentário:

Postar um comentário