sábado, 21 de julho de 2012

Óbitos por dengue caem 273% em PE

Até este mês de julho, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) confirmou 11 óbitos por dengue, uma redução de 273% em relação a 2011, quando foram confirmadas 41 mortes. Para o órgão, a diminuição está relacionada ao melhor acompanhamento dos pacientes nas unidades de saúde pernambucanas, que, neste ano, receberam uma série de capacitações para padronizar o protocolo de atendimento aos pacientes com suspeita de dengue. O Estado ainda diagnosticou a redução dos casos de dengue grave (com complicações ou hemorrágicas), que saíram de 585, em 2011, para 147, em 2012, caindo em 298%.

Segundo o secretário estadual de saúde, Antonio Carlos Figueira, as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) implantaram, neste ano, uma nova forma de pré-atendimento aos pacientes com suspeita de dengue. “As pessoas que chegam às unidades com alguns sintomas da dengue começam logo a ser hidratadas. Também há um monitoramento específico para analisar a evolução do caso, otimizando o diagnóstico e o tratamento”, diz o secretário.
Ele lembra que 150 médicos e enfermeiros de hospitais da Região Metropolitana do Recife, além de 400 profissionais de hospitais e unidades de saúde municipais, foram capacitados sobre o diagnóstico e tratamento da dengue em todo o Estado. “A dengue é uma doença que pode ser confundida com diversas enfermidades. Por isso, é preciso estar atento a alguns detalhes, principalmente quando se trata dos casos graves da doença, que podem levar à morte”, orienta Figueira, que é médico pediatra.
A prova do laço é um importante teste e dá sinais de alarme existentes em 85% dos pacientes com dengue hemorrágica, por exemplo. Para fazer o exame, é preciso usar um aparelho de aferir pressão e verificar o surgimento de petéquias ou equimoses (pontos vermelhos) no corpo do paciente. Dependendo da quantidade, o caso pode ser diagnosticado como dengue grave.
De acordo com a coordenadora do Programa Estadual da Dengue, Claudenice Pontes, apesar da redução nos óbitos, é preciso que a população se mantenha em alerta e mobilizada para as ações de eliminação dos focos de dengue, especialmente nos reservatórios de água no quintal e acondicionando diretamente o lixo. “É importante ainda que todos facilitem o acesso e o trabalho dos agentes de endemias em suas casas, onde estão 90% dos focos. E, em caso de sintomas, procurar uma unidade básica de saúde, além de evitar a automedicação, que pode agravar o quadro”, enfatiza.

DADOS – Até o dia 7 de julho, foram notificados 51.825 casos de dengue (confirmados 18.963), distribuídos em 183 municípios. Isso representa um aumento de 88% em relação ao mesmo período de 2011, que notificou 27.567 casos, confirmando 12.119 desses.
Os dez municípios com maior percentual de notificação são: Recife (22,99%), Jaboatão dos Guararapes (5,75%), Caruaru (5,22%), Olinda (4,11%), Cabo de São Agostinho (3,81%), Afogados da Ingazeira (3,80%), Paulista (2,98%), Abreu e Lima (2,77%), Ipojuca (2,25%) e Goiana (1,93%).

Fonte: ASCOM

Nenhum comentário:

Postar um comentário