quarta-feira, 13 de junho de 2012

ONG escolhe Pernambuco para lançar manual de práticas verdes

O modelo de crescimento sustentável adotado pelo Governo do Estado foi aprovado pelo “scanner” da World Watch Institute (WWI). Foram as boas práticas desenvolvidas por Pernambuco que levaram a ONG norte-americana a fazer o lançamento do relatório anual “O Estado do Mundo - Edição 2012” no Palácio do Campo das Princesas. A solenidade aconteceu na terça-feira (12) e contou com a presença do governador Eduardo Campos e dos diretores da WWI, Michael Renner e Eduardo Athayde

A publicação, produzida em parceria com a Universidade Livre da Mata Atlântica (UMA), reúne em 291 páginas análises, pesquisas e estatísticas sobre os impactos que as mudanças climáticas têm provocado no planeta. Com os dados coletados, a ONG vai dar subsídios para que empresas, governantes e a sociedade civil possam aderir novos hábitos que assegurem qualidade de vida e um planeta mais sustentável para as futuras gerações.

 Na edição deste ano, o foco do relatório são os “Green Jobs”, que em português significa “Trabalhos Verdes”. Coube ao diretor de projetos da WWI, Michael Renner, apresentar a “fotografia” dos impactos no mundo. Renner também explicou quais as medidas que devem ser adotadas para fazer a economia verde funcionar. Ele defendeu o investimento em quatro áreas: energia renovável, transporte público, construção civil e reciclagem.

Eduardo Campos foi o primeiro governador brasileiro a escrever o prefácio do relatório, que é publicado há 28 anos consecutivos em quase 30 idiomas. A escolha foi justificada por Athayde. “Fizemos questão de lançar o relatório com o único governador sustentável do Nordeste e do Brasil”, explicou Eduardo Athayde.  Ele afirmou ainda que indicará a inclusão do Porto de Suape no Guinness Book pelos nove mil hectares de área protegida.

“Na visão da economia verde isso não é apenas uma área preservada, mas um imenso potencial para novos negócios. Quando você tem uma porta de entrada como Suape com uma área preservada como essa, você está diante de um imenso potencial para biofábricas em Pernambuco”, previu.

Ao discursar, o governador explicou que a sustentabilidade é um “valor transversal” em todas as ações desenvolvidas pelo Estado e citou alguns exemplos: “Nós temos dotado os prédios públicos de eficiência energética, incentivado as empresas a utilizar energia renovável e reutilizar água, além de fazer com que a empresa de água do estado (Compesa) possa fazer energia ao transportar água”.

A produção de energia limpa também tem sido incentivada em Pernambuco. “Somos o único estado do Brasil que tem num sitio só todo ciclo de produção de equipamentos de energia eólica e hidráulica. Agora fazendo um grande esforço para a energia solar constar no Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica”.

Secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Sérgio Xavier, explicou que Pernambuco está vivendo um momento de transição da “velha economia” para a “economia verde”. E que o processo exige articulação, planejamento, disposição política, conhecimento e inovação.

“Nesse momento estamos definindo quais os eixos da economia que devem crescer, receber subsídios, incentivos ficais e financeiros, e apoio de qualificação para planejar a economia no sentido decrescer aqueles setores que já estão extrapolando os limites e transferir emprego, capital, estrutura para essa nova economia”, explicou Xavier, que participa do Rio Clima, evento paralelo à Rio + 20, que acontece nos próximos dias 14 e 15. Nesta data, Eduardo apresenta uma palestra sobre água e sustentabilidade no auditório da Firjan.

Nenhum comentário:

Postar um comentário