terça-feira, 22 de maio de 2012

Governo do Estado promove Campanha de Doação de Órgãos.



Com o tema Diga Sim para a Vida Continuar, a Central de Transplantes de Pernambuco (CT-PE) promove, durante toda esta semana, a Campanha Estadual de Incentivo à Doação de Órgãos 2012, com uma série de atividades para conscientizar a sociedade sobre a importância dos transplantes na vida de várias pessoas. A solenidade de abertura da mobilização aconteceu, na tarde desta terça-feira (22/05), no Palácio do Campo das Princesas, com a presença do Governador Eduardo Campos e do secretário estadual de Saúde, Antonio Carlos Figueira.
“Esse ano, nós estamos com uma programação especial para os profissionais que atuam nas unidades de saúde. Nós queremos mobilizá-los, pois têm importância fundamental no diagnóstico de morte encefálica, manutenção do potencial doador e no acolhimento dos familiares”, diz o secretário estadual de saúde, Antonio Carlos figueira.
Na tarde da terça-feira, a secretaria estadual de Saúde (SES) promove o curso Estratégias para Acolhimento e Entrevista Familiar para Doação de Órgãos, com o coordenador de Projetos do Hospital Albert Einstein de São Paulo, Tadeu Tomé. A aula será realizada no Imip, bairro dos Coelhos.  À noite, a partir das 19h, o neurologista e professor da Universidade Estadual de Campinas/SP Luiz Antônio Sardinha promove a Aula de Diagnóstico Neurológico de Morte Encefálica, no Auditório da Fundação de Aposentadoria do Estado de Pernambuco (Funape), no Derby.
Na quinta-feira (24/05), haverá, no Imip, o curso Seleção do Potencial Doador e Distribuição de Órgãos e Tecidos, das 14h às 18h, com o médico coordenador de transplantes da Central de Transplantes de Pernambuco (CT-PE), André Bezerra. Na sexta-feira, a CT-PE promove o Curso sobre Morte e Luto, que será realizado no Centro de Formação dos Servidores e Empregados Públicos do Estado de Pernambuco (Cefospe), na Boa Vista, com a presença da psicóloga Rosário Brayner e do pastor José Linaldo de Oliveira. Já no sábado (25/05), acontece o Fórum de Doação de Órgãos no Auditório do Interne Home Service, na Ilha do Leite, voltado para estudantes de cursos de medicina e enfermagem.
Além dos cursos para profissionais de saúde, na quarta-feira, mobilizadores sociais e técnicos da SES estarão no Complexo Industrial de Suape, prestando orientações aos trabalhadores e distribuindo panfletos informativos. Já na quinta-feira, a Campanha recebe uma atenção especial da Assembleia Legislativa de Pernambuco, que abre Expediente Especial, às 111h, para debater o tema da Doação e Transplantes de Órgãos.
Transplantes – Este ano, a Campanha Estadual de Incentivo à Doação de Órgãos ganha um significado especial, com a celebração de 18 anos de atuação da Central de Transplantes e a marca de mais de 10 mil transplantes realizados. “Para nós essa é uma data muito marcante, a Central de Transplantes entra na maioridade e com a marca de 10 mil transplantes. Esse número só foi alcançado devido à população, a quem queremos agradecer nessa semana. Mas é importante ressaltar que o caminho a ser percorrido é muito longo, pois muitos pernambucanos ainda precisam de um gesto de solidariedade para sobreviver”, ressalta o secretário.
Pernambuco é pioneiro e referência no Norte/ Nordeste em transplantes de fígado, rim, coração, córneas e medula óssea.  Mas apesar dos muitos avanços conquistados desde a criação da CT-PE, em 1994, a lista de espera por um órgãos ainda é extensa, com mais de 3 mil pessoas.  São 1.840 na fila por um rim, 1.215 a espera de córneas, 118 de fígado, e 3 de coração.
Doação - Para que ocorra a doação, é preciso que haja a confirmação de morte encefálica do paciente – quando não há mais atividade cerebral, mas os órgãos continuam em funcionamento, com a ajuda de aparelhos. Para isso, há um rígido protocolo, com a avaliação médica e realização de uma série de exames. Após essa confirmação, é hora da permissão dos familiares para que ocorra a doação. “O primeiro, e mais essencial, passo para se tornar um doador é avisar a seus parentes sobre esse desejo, pois, de acordo com a legislação dos transplantes no Brasil, a doação deverá ser consentida pelo familiar de até 2º grau. Então é preciso que a sociedade converse sobre esse assunto para que as doações continuem acontecendo e, dessa forma, a fila de espera possa diminuir”, ressalta a coordenadora da CT-PE, Zilda Cavalcanti. Após assinatura do termo de autorização, a Central encaminha o órgão para um receptor compatível, obedecendo a ordem da lista única do Estado. Vale salientar que o corpo do doador não fica mutilado e que a idade não determina se alguém pode ou não ser um doador.
De acordo com a CT-PE, em Pernambuco, cerca de 60% das famílias não aceitam a doação dos órgãos de seus entes, um número considerado alto. A coordenadora da Central destaca, porém, que uma única doação, pode salvar a vida de até seis pessoas. Outras informações sobre transplantes podem ser obtidas através do telefone 0800-281-2185.

Fonte: ASCOM

Nenhum comentário:

Postar um comentário