quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Dia Internacional de Recordação do Holocausto é Lembrado no Recife

Em 27 de janeiro de 1945, há exatos 65 anos, o exército russo liberava o campo de concentração em Auchwitz.

Em 2005 a Assembléia Geral das Nações Unidas adotou por unanimidade uma resolução introduzida por Israel, designando o dia 27 de janeiro, como O Dia Internacional de Recordação do Holocausto.
No Brasil , o evento ocorreu no Recife com uma série de atividades que marcaram a data na capital pernambucana. No último dia 24, no Paço Alfândega, as margens do Capibaribe, no Bairro do Recife a exposição        " Ao Recife  o que o Recife não Conhece", que reúne três exposições que retratam a presença judaica em Pernambuco.


Também estão expostos objetos litúrgicos usados nas sinagogas e Dvds (mostram uma visita virtual à  Kahal Zur Israel) e uma rota judaica que o público pode conferir até o dia 31, na Praça Central do Shoping.


Hoje aconteceu um evento organizado pela Confederação Israelita do Brasil (Conib) e Federação Israelita de Pernambuco, com a presença do Presidente Luiz Inácio Lula da silva e do Governador Eduardo Campos.


Na ocasião, foram inauguradas duas exposições que ficarão expostas até março, na Rua do Bom Jesus: " Anne Frank - Uma História para Hoje" na Galeria Regional Nordeste MinC/BNB, Casarão, n° 237 e "Desenhos das Crianças de Terezin" na Casa da Fundação Safra, n.° 191.
A mostra de Anne Frank já passou pro mais de 50 países e remonta a história da família Franck vítima do nazismo e nos chama a refletir sobre a convivência com as diferenças.

Um dos grandes destaques do evento foi a presença de Ben Abraham, polonês naturalizado brasileiro que passou cinco anos e meio em campos de concentração e foi libertado um dia após o suicídio de Hitler.
Ele afirmou que tinha vinte anos de idade , 28 kg e tuberculose dupla quando saiu dos campos de concentração nazistas. Sobreviveu e jurou a si mesmo que contaria ao mundo o que viveu.

No Brasil e no mundo existem milhares de Hitlers escondidos nos seguidores das suas idéias absurdas, são aqueles que não gostam de negros, de judeus, no Brasil de nordestinos, sempre a espera da oportunidade perfeita.
Devemos nos manter atentos para que esta oportunidade não seja dada e mais massacres não sejam realizados com inocentes e suas famílias.
Faz-se necessário , aprender a viver e respeitar as diferenças  e pregar a paz para que vergonhas para a humanidade como o Holocausto não se repitam.

Nenhum comentário:

Postar um comentário