Foto: Edson Holanda/Divulgação

O Programa Mãe Coruja Recife (PMCR) foi lançado há 10 anos e o marco foi comemorado nesta segunda-feira pela gestão. A iniciativa acompanha as gestantes desde o pré-natal, parto e puerpério até os primeiros seis anos de vida da criança. 
A Secretaria de Saúde do Recife realizou, nesta segunda-feira (15), o evento ‘‘10 Anos Compartilhando Saberes e Afeto’’.

A solenidade foi realizada no Teatro do Parque, na área central da cidade, e contou com a presença do prefeito João Campos (PSB), da vice-prefeita, Isabella de Roldão (PCdoB), e da Secretária de Saúde, Luciana Albuquerque, além de outros secretários, colaboradores, trabalhadores e pessoas atendidas pelo Programa.

“O ato de governar é o ato de cuidar de que precisa. E todo governante tem que querer para uma criança o que ele quer para um filho seu e querer para uma mulher o que ele quer para a sua mãe”. E eu tenho certeza que foi isso que motivou lá atrás Eduardo Campos e Renata  a criarem o Mãe Coruja. Pegaram um estado que amargava uma das piores posições do Brasil de mortalidade materno-infantil e conseguir reverter em menos de uma década esses números que serviu de exemplo para todo o Brasil.  E eu firmo um compromisso com vocês. Hoje é dia 15 de janeiro. Até o dia 30 de janeiro, estará na Câmara de Vereadores do Recife, um Projeto de Lei que torna o Programa Mãe Coruja do Recife um projeto permanente. Que ele seja um programa de estado independente do prefeito ou prefeita que venha a governar a nossa cidade, ninguém vai ter o direito de, por livre e espontânea vontade , acabar com algo que faz bem ao futuro da nossa cidade, que faz bem as nossas crianças , que faz bem as mães."; destacou.

Na festividade de uma década do Mãe Coruja, foram prestadas homenagens a Eduardo Campos, Renata Campos, Geraldo Júlio e Cristina Mello, figuras importantes na trajetória do programa. Além disso, houve uma retrospectiva de conquistas e resultados alcançados. Foram detalhados, ainda, novos projetos para 2024, incluindo avanços tecnológicos e expansão territorial, beneficiando mais famílias. No encerramento, o público presente, autoridades públicas municipais, profissionais da saúde e usuários do PMCR, prestigiaram apresentações culturais de Geraldinho Lins e do mágico Rodrigo Lima.

Atualmente, o PMCR acompanha cerca de 19 mil famílias, em 20 espaços espalhados pelo município, fazendo a cobertura de 47 bairros – o equivalente a 50% do território recifense. A iniciativa nasceu como uma importante estratégia de atenção a fim de reduzir a mortalidade materna e infantil, tendo como valores o direito à vida, atenção à saúde qualificada e humanizada, equidade, intersetorialidade e tomada de decisão com base em evidências. Em 2023, foi inaugurado uma unidade do programa e a previsão, para 2024, é que mais três sejam implantadas, ampliando ainda mais a área de atuação e a quantidade de cadastrados.

Para participar do PMCR, basta ter iniciado as consultas de pré-natal no SUS, morar em um dos bairros cobertos pelo programa e procurar um dos espaços da sua área para realizar o cadastro. As gestantes são incentivadas a participar de todos os cuidados que uma gravidez exige. Para as mulheres que completarem sete ou mais consultas de pré-natal no SUS, o Mãe Coruja oferece o kit bebê, que consiste em 14 itens de higiene e enxoval.

O Mãe Coruja Recife já foi reconhecido pela Unicef, Fundo Internacional de Emergência das Nações Unidas para a Infância, como exemplo de boas práticas de políticas públicas e atenção à primeira infância. De acordo com o resultado da pesquisa do Instituto de Ensino e Pesquisa (Insper), o programa causou um impacto notável na redução da mortalidade infantil da capital pernambucana, evitando cerca de 4 mil óbitos nos seus 10 anos de história.

Um programa de extrema importância e que realmente toda cidade deveria ter.

Amannda Oliveira