Criador da Macuca será homenageado no Polo Pop /Forró

Foto: Boi da Macuca

Esse ano o Palco Pop/Forró do Festival de Inverno de Garanhuns, fará uma homenagem especial e muito justa ao produtor cultural e idealizador do Boi da Macuca, José Oliveira Rocha, mais conhecido como Zé da Macuca, que faleceu em maio de 2021, aos 67 anos. O anúncio feito durante a coletiva de lançamento da programação oficial do festival, pelo coordenador do evento, André Brasileiro foi festejado pela imprensa e público.

A história de Zé e seu famoso Boi da Macuca começam em 1989, quando ele abandona sua carreira profissional para ocupar as terras deixadas por seu pai, no Agreste pernambucano. Embora soubesse cuidar da terra e do gado, Zé descobriu a existência de um boi mítico e brincante que, por ser símbolo da cultura da região, se transformou na sua verdadeira razão de viver.

Desde então, ele assumiu o comando da agremiação e levou-a para além das fronteiras de Pernambuco com cortejos que já desfilaram por Olinda, Recife, Festival de Inverno de Garanhuns (PE) e Festival de Inverno de Ouro Preto (MG), além de turnês pela Europa.

O sítio de Zé, em Correntes, abrigava anualmente o tradicional São João da Macuca e o Festival Macuca das Artes, eventos que atraíam centenas de pessoas. Após a sua morte, Rudá o seu filho, continua levando a frente o legado deixado pelo pai com maestria.

Rudá comentou a homenagem ao seu pai nas redes sociais.

🗣 “Estive em todos os festivais de inverno de Garanhuns. Lembro, como se fosse hoje, do entusiasmo do meu pai, Zé da Macuca, com a primeira edição e a completa transformação cultural da cidade que estava por vir.

Se minha memória for fiel, nesse primeiro ano, em 1991, a programação contemplava Alceu Valença e Dominguinhos. O brilho nos olhos do meu pai encandeava, ao ver, na cidade onde cresceu, dois dos pilares mais concretos da música pernambucana, sendo um deles conterrâneo de Garanhuns.

Meu relicário de memórias afetivas no FIG é infindável. Zé levava o Boi da Macuca para as ruas da cidade com a espontaneidade típica do carnaval, pouco se preocupando de constar da programação oficial.

Ao longo de 30 edições, o FIG impulsionou arte a partir de Garanhuns com a potência de dividir o calendário cultural pernambucano ao lado do carnaval e do São João.

O FIG certamente participa do DNA da Macuca e se constitui como um dos maiores propulsores de cultura em Pernambuco, proporcionando salvaguarda, intercâmbio, vanguarda e difusão.

Ver Zé da Macuca como homenageado do FIG em sua trigésima edição é como sentir um carimbo no lombo do Boi chancelando a caminhada da Macuca pelos mais de 30 anos de história.”

Para a homenagem ser ainda maior vão acontecer dois cortejos dentro da programação do festival como abaixo discriminado:

⭐️ Sábado dia 23.07
⏰️ 15h
📍 Relógio das Flores | Heliópolis | Garanhuns

⭐️Sábado dia 30.07
⏰️ 15h
📍 Paróquia de São Sebastião | Boa Vista | Garanhuns

Amannda Oliveira