Foto: Amannda Oliveira

O São João de Arcoverde começou na sexta-feira, dia 17 de junho, no Polo da Poesia. Localizado ao lado do Centro de Gastronomia de Arcoverde. O polo que estreiou em novo local, foi aberto com a poesia dos locutores e poetas George Silva e Andreza Kamylla e depois pegou o embalo do forró com Arte Nordestina. Por lá ainda passaram Lidio Vaz e Maximimo Bezerra, Bisaco de Matuto e Ciro Santos e Forró de Noiz.
O Polo do Cruzeiro que passou a se chamar este ano Lula Calixto, estava previsto para começar as 17h. Ao chegar lá a nossa equipe se deparou com um polo com camarins as escuras, sem portas e sujos, palco dando choque e sem testeira, e muito atraso. Foram três horas de atraso para que Karynna Spinelli pudesse subir ao palco. A desorganização do evento alterou a ordem das apresentações e foi motivo de muitas críticas entre as pessoas que chegavam ao local.

Foto: Amannda Oliveira

A cantora Karynna Spinelli foi a primeira a subir ao palco no Polo Lula Calixto com o seu mais novo show A JUREMA FALA saudando o São João com homenagem ao Coco Raízes de Arcoverde, Luiz Gonzaga e Accioly Neto e claro, cantando suas canções. Espumas ao vento, Assum Preto e Acorda Criança, Senhor da Jurema Santa e a Luz de Luziária estavam entre as cações apresentadas ao público.

Foto: Amannda Oliveira

O Polo Multicultural foi aberto com a apresentação da Quadrilha Junina Portal do Sertão. Em seguida, o Prefeito Wellignton Maciel realizou uma homenagem a Pedro Gilberto, Miro de Carvalho e Henry Pereira in Memoriam por serem alguns dos percussores do teatro arcoverdense. Ao lado do Prefeito, estavam a primeira dama Rejane Maciel, o Secretário de Turismo e Eventos Pedro Brandão, a Secretária de Cultura, Juliana Aguiar, o vereador Luciano Pacheco e a vereadora Luiza Margarida.

Foto: Amannda Oliveira

Após as homenagens, aconteceu dentro da programação do palco, o Encontro dos Sambas de Coco de Arcoverde que reunia Samba de Coco Raízes de Arcoverde, Coco das Irmãs Lopes e Coco Trupé de Arcoverde. Um show que deveria ser lindo para o público foi um fiasco para os grupos que tiveram os microfones o tempo inteiro cortados durante as apresentações, e ainda por cima, quase foram expulsos do palco , uma vez que enquanto cantavam a música final, pessoas da produção começaram a desmontar o palco para a atração que viria em seguida.
Uma vergonha e um desrespeito com aqueles que levam Arcoverde para o mundo. 
Foto: Amannda Oliveira


A Banda Calcinha Preta que voltou a cidade após a morte da cantora Paulinha Abelhinha e emocionou o público ao dizer que o quarto elemento sempre estará entre no palco. O grupo formado por Daniel Diau, Silvânia Aquino e Bell Oliver cantou os maiores sucessos da carreira e homenageou a ex companheira de banda com as canções “Baby Doll”, “Paulinha”, “Louca por Ti”. O público cantou junto todo o repertório do grupo.

Foto: Amannda Oliveira

Já no Polo das Artes quem se apresentou foi o cantor e compositor garanhuense Revoredo que trouxe ao palco o repertório do seu primeiro disco intercaladas com músicas que permearam seu repertório nesses mais de 20 anos de carreira. Algumas delas nunca tocadas antes para o público, já que seu disco foi lançado em 2020 e a pandemia impossibilitou essa circulação.  Um show lindo que emocionou o público.

E hoje a festa continua. No polo Lula Calixto se apresentam Coco Fulo de Barro, Barbarize, Mundo Livre S/A e João Lacerda. No polo multicultural o grande destaque da noite é a cantora Elba Ramalho. No polo João Silva se apresentam a Banda Cabeça de Alho e Arte Nordestina. E muitas ações que vamos mostrar por aqui. 

Amannda Oliveira