quarta-feira, 17 de fevereiro de 2021

Cultura pernambucana perde Guitinho da Xambá


A cultura pernambucana perdeu nesta quarta-feira (17), um grande representante. Morreu Guitinho da Xambá cantor e compositor do Grupo Bongar. O cantor 
estava internado para fazer uma cirurgia por conta da Síndrome de Cushing, uma doença rara que causou o aumento da glicose, da pressão arterial deixando Guitinho com o rosto e o abdome inchados. Nesse internamento para a cirurgia, ele teve um AVC que evoluiu e ele entrou em coma. Após exames realizados pela equipe médica, nesta tarde, foi confirmada a morte encefálica do artista. Guitinho estava internado na UTI do Hospital Esperança em Olinda desde o dia 1 de fevereiro.

Guitinho foi sem sombra de dúvidas um dos personagens mais importantes da cultura popular e religiosa de matriz africana, em Pernambuco. 

A Secretaria de Cultura de Pernambuco através da Fundarpe se pronunciou sobre a morta do artista . 

"A Secretaria Estadual de Cultura e a Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe) lamentam profundamente a morte do cantor e compositor Guitinho de Xambá, líder e vocalista do Grupo Bongar. Ele estava internado há cerca de uma semana no Hospital Esperança para realizar um procedimento cirúrgico, mas acabou tendo um acidente vascular cerebral, que o levou à UTI. Familiares e amigos chegaram a realizar uma campanha para doação de sangue, mas ele acabou não resistindo. A notícia da morte do artista foi confirmada nesta quarta-feira (17/2) à noite.

Segundo o presidente da Fundarpe, Marcelo Canuto, essa é uma perda muito sentida para o Estado. “Apesar da pouca idade, Guitinho sempre foi uma referência na cultura popular pernambucana e na defesa e no registro de nossa ancestralidade africana. Destaco não apenas seu trabalho no Grupo Bongar, mas também sua participação atuante na luta por uma política pública de Cultura para o setor. Deixo minhas condolências aos familiares e a todos que fazem a Nação Xambá”, declarou Canuto.

Para o secretário de Cultura, Gilberto Freyre Neto, ficará sempre na memória o talento e a energia que emanavam de Guitinho. “Será sempre lembrado pela grande contribuição que deu na retomada do Terreiro de Xambá. Foi uma liderança jovem, com um talento incrível para a música. Está marcado para sempre na cultura de Pernambuco. Desejo muita força à família e aos que integram o Grupo Bongar e a Nação Xambá nesse momento de dor. Que ele siga seu caminho de luz”, disse o secretário.

Bongar

Um dos mais importantes grupos de cultura popular e religiosa de matriz africana, o grupo Bongar foi formado em 2001 e é integrado por seis ogãs do terreiro de Xambá, Quilombo do Portão do Gelo, em Olinda. A banda propaga a cultura do Coco de Xambá, festa realizada no dia 29 de junho há mais de 40 anos"

Nossos sentimentos a todos.

Amannda Oliveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário