quinta-feira, 5 de novembro de 2020

Pedra: Junior Vaz é alvo de pedido de cassação por compra de voto

O candidato do Avante à Prefeitura da Pedra, Junior Vaz, está sendo alvo de um pedido de cassação da chapa feito pela coligação da Frente Popular acusado da compra de voto e abuso de poder econômico. O pedido foi protocolado através de uma Ação de Investigação de Judicial Eleitoral – AIJE e pode tirar do páreo o candidato oposicionista no município. Na ação, o candidato do Avante é acusado da compra de votos no bairro “Alto da Boa Vista”, no valor de R$700,00, vídeo onde o candidato a vereador da chapa; “Erick Tenório”, assume que Júnior Vaz providenciou a construção de poço artesiano em propriedade de eleitores em troca de votos, abuso de poder econômico, com provas de abastecimento de combustível em um posto local comandado por um empresário ligado ao grupo, entre outros fatos anexados ao processo registrado com o protocolo de número: 0600173-17.2020.6.17.0058

Diz no corpo da denúncia que uma senhora, “que já buscou advogados para tentar fazer denúncia ao MP, afirma que recebeu vantagem de R$ 700,00 reais e que o mesmo grupo distribuiu quantias similares por toda a rua em que ela reside e que a mesma pegou o dinheiro pois é muito pobre e iria se aproveitar da conduta criminosa praticada em prol de Junior Vaz para ajudar no sustento da sua casa”.

“Essas e outros 11 fatos posteriormente protocolados por meio de AIJE, serão usadas para defender a lisura do pleito contra os abusos dos poderosos que buscam cercear a liberdade do eleitor”, ressalta o representante da coligação da Frente Popular da Pedra.

Caso a Justiça Eleitoral aceite as provas apresentadas, reconhecendo a gravidade das circunstâncias do abuso de poder político e condutas vedadas praticados pelos investigados, eles poderão ser condenados a perda dos direitos políticos com a decretação da inelegibilidade por 8 (oito) anos e a cassação do registro ou diploma, caso eleito.

Informações: A Folha das Cidades

Nenhum comentário:

Postar um comentário