sexta-feira, 5 de junho de 2020

Programa Criança Feliz mantém acompanhamento de famílias de Garanhuns durante a pandemia

Com o intuito de dar continuidade ao atendimento das famílias cadastradas durante a pandemia de Covid-19, a Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos (SASDH) elaborou o Plano de Contingência do Programa Criança Feliz (PCF). O acompanhamento no município segue observando o desenvolvimento da primeira infância e o fortalecimento de vínculos no período de emergência de saúde pública, em consonância com os protocolos e medidas de higiene, recomendados pelos Ministérios da Saúde e da Cidadania, buscando garantir a segurança e saúde dos profissionais e famílias inseridas no programa.

O acompanhamento acontece de forma remota, por meio de ligações e aplicativo de mensagens (WhatsApp), com o compartilhamento de vídeos e orientações; além das abordagens presenciais, de acordo com a necessidade de cada família, para orientações e entrega de atividades. As duas modalidades estão sendo alternadas a cada semana, de forma planejada, seguindo o perfil e faixa etária do público-alvo. O atendimento presencial segue com visitadores e técnicos utilizando os equipamentos de proteção individual (EPI), e respeitando o distanciamento durante as visitas. 

Atualmente, o programa realiza o acompanhamento de 986 famílias de Garanhuns. “O Criança Feliz promove diversas atividades essenciais, que se tornaram ainda mais importantes neste contexto de pandemia. Por isso, nossos profissionais estão comprometidos em assegurar outras formas de desenvolvimento e aprendizado para o público-alvo”, pontuou a secretária de Assistência Social e Direitos Humanos de Garanhuns, Célia Sobral.

Programa Criança Feliz — O programa do Governo Federal foi instituído por meio do Decreto nº 8.869/2016, com fundamento na Lei nº 13.257/2016, que trata do Marco Legal da Primeira Infância, envolvendo várias políticas para efetivação da intersetorialidade no âmbito do Sistema Único de Assistência Social (Suas), tendo como público-alvo gestantes e crianças de até 36 meses inseridas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), e crianças de até seis anos e suas famílias que recebem o Benefício da Prestação Continuada (BPC).

ASCOM

Nenhum comentário:

Postar um comentário