terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

Estudante assassinado havia deixado vídeo avisando que corria risco de morte

Comentários deixados em redes sociais aumentam as suspeitas em torno da
 morte do estudante


O estudante Clayton Tomaz de Souza, de 32 anos, cujo corpo foi identificado hoje através das digitais, havia gravado um vídeo no dia 27 de janeiro de 2019, alertando que corria o risco de ser assassinado. Mais do que isso, ele disse, na gravação, que os responsáveis poderiam ser “os guardinhas da UFPB”. 

Em comentários de pessoas em redes sociais de sites da Paraíba , pessoas afirmam que o estudante pediu ajuda e não foi ouvido e que ainda havia denunciado guardas do campus por má conduta ao Ministério Público.

Confiram os comentários:






Em entrevista ao Jornal da Paraíba 1.ª edição, o delegado do caso Paulo Josafá disse que as investigações já começaram a ser realizadas para saber as circunstâncias em que a morte aconteceu e disse que todos os fatos surgidos no decorrer da investigação serão avaliadas. O delegado ainda destacou que vai ouvir amigos do estudante do campus e a equipe de segurança.
A universidade disse que não iria se pronunciar por que o crime aconteceu fora das suas dependências .

Confira:



Amannda Oliveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário