domingo, 28 de julho de 2019

Festival de Inverno de Garanhuns se despediu com gostinho de quero mais

Foto: Amannda Oliveira

A 29ª edição do Festival de Inverno de Garanhuns se despediu na madrugada deste domingo (28), com a caraterística peculiar do evento, a multiplicidade das artes, muito frio e a garoa. No Palco Pop o grupo Ave Sangria que trouxe ao evento o show do seu segundo disco "Vendavais". Já na Catedral de Santo Antônio, a grande atração da noite era o cantor João Bosco, com o show "Mano que Zueira". No Palco Mestre Dominguinhos couve a cantora e compositora Andrea Amorim que subiu ao palco comemorando 20 anos de carreira. A cantora grava em outubro um dvd no Teatro Luiz Souto. " Eu já realizei muitas coisas na minha vida. Tenho vivido como diz a música " deixa a vida me levar". Já recebi tanto da vida que só tenho a agradecer". 

Foto: Amannda Oliveira

Maciel Salú apresentou o show de seu álbum mais recente, intitulado Liberdade lançado em 2018. Com forte tom político e social, “Maracatu Sem Lei”, com influências do rock ‘n roll, “Jurema” e Liberdade” não ficaram de fora do repertório. O show ainda contou com a participação do Maracatu Piaba de Ouro.

Foto: Amannda Oliveira

A banda Mundo Livre S.A veio com o show A Dança dos Não Famosos perpassando por sucessos da carreira, como Meu Esquema e Mexe Mexe. No backstage durante conversa com imprensa, o vocalista Fred 04 relembrou de Chico Sciense ao falar do legado de Jackson do Pandeiro, homenageado do FIG. "Quando assinamos com gravadoras do Sudeste, um diretor artístico disse para Chico: 'Eu vejo em você um pouco do Jackson do Pandeiro. O Brasil já sentia falta daquele sotaque nordestino de Jackson, algo que reverbera na identidade brasileiro até hoje".

Foto: Amannda Oliveira

A baiana Marienne de Castro fez um show deslumbrante. A cantora trouxe na bagagem as suas raízes africanas e no repertório músicas como "Pureza da Flor", "A Deusa dos Orixás", de Clara Nunes, "Homem Com H", de Ney Matogrosso, “É D'Oxum” e “Cordeiro de Nanã.” Um dos momentos mais emocionantes da noite foi quando a cantora convidou a cirandeira Lia de Itamaracá para uma participação especial, onde juntas cantaram e dançaram “Minha Ciranda”, originalmente interpretada pela própria Lia.

Foto: Amannda Oliveira

O também pernambucano Almério, dividiu o palco com Mariene na música Canto de Ossanha. A missão de encerrar o Festival de Inverno de Garanhuns ficou por conta da cantora Maria Rita que trouxe ao FIG o seu mais novo show  " Amor e Música".

Foto: Amannda Oliveira

A cantora abriu o show com " Não deixe o samba morrer" e desfilou uma série de sucessos como " A pureza da flor", " Cara Valente", " O show tem que continuar", " Vou festejar" e canções que marcaram a carreira de Elis Regina como " O Bêbado e o Equilibrista" e " Como nossos pais".

E a contagem regressiva para a edição comemorativa aos 30 anos do maior festival da América Latina já começou. O evento será voltado ao tema da sustentabilidade. 

Amannda Oliveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário