terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

2019 e o quanto somos instantes.

O ano é 2019, mais bem que poderia pular pra 2020. Nos últimos dias o Brasil tem sido bombardeado por tragédias. Estouro de barragem matando centenas de pessoas, destruindo histórias em um mar de lama repleto de ganância e vidas destruídas, chuvas torrenciais e mais tragédia no Rio de Janeiro, a morte de dez crianças em um incêndio no Flamengo, a queda de helicóptero com mais mortes, suicídios de pessoas queridas de forma inexplicável.

As pessoas estão partindo, histórias estão sendo interrompidas, a natureza está cobrando caro pelos estragos do ser humano. A nossa sociedade está doente. Os nossos jovens estão pedindo socorro de maneira silenciosamente perigosa e estão tirando a própria vida.

Como imaginar que o ano mal começou e já perdemos tanto? Como imaginar que em dias centenas de pessoas se foram de maneira absurda? Esses dias tem me deixado com medo de ligar a TV, de olhar as redes sociais, de ouvir no rádio mais uma tragédia, mais dor de mães, pais, filhos. 

Por mais que estejamos acostumados a dar todo tipo de notícia, o excesso de notícias ruins dos últimos dias mexeu conosco, nos fez parar e repensar muita coisa. Nos fez perguntar não por que? Mais o que devemos aprender com os últimos acontecimentos.

Estamos tão vidrados e nós mesmos e nas redes sociais que estamos deixando as pessoas sozinhas ao nosso lado, isoladas. Não estamos percebendo a dor nos olhos, ou os sinais da natureza. O que tem batido forte em nós é o quanto somos instante. O quanto tudo é tão breve e o quanto ainda não estamos preparados para perder as pessoas que amamos e muitas vezes de ver pessoas que nem conhecemos perderem os seus entes amados.

Não está fácil pra ninguém! Mais proteja o seu coração e a sua alma. Viva! Viva! Ame! A hora é agora, não perca tempo. E que possamos consolar e abraçar aqueles que sofrem.

Amannda Oliveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário