sábado, 21 de julho de 2018

Anderson do Pife e a Banda Zé do Estado enlouquecem público do Palco Mestre Dominguinhos

Estamos apenas no terceiro dia de Festival de Inverno de Garanhuns. Mas, esse FIG promete entrar pra história. Na noite desta sexta-feira, 20 de julho, a Praça Mestre Dominguinhos recebeu, Anderson do Pife e a Banda Zé do Estado, da cidade de Caruaru. O grupo que defende lindamente a cultura popular, trouxe ao Palco Mestre Dominguinhos o show "Primeiro Recado" aonde o pífano dialoga com outras linguagens musicais deixando o público maravilhado. O pífano diga-se de passagem é o grande destaque do show , por não perder em momento algum as suas características.

O nosso blog conversou com Anderson que falou a respeito do show : "  Eu faço parte da 4.ª geração da banda. Hoje nós somos uma das bandas em atividades ininterruptas, mais antigas do país, passando de pau pra filho, de filhos pra neto. Então, basicamente é um novo produto que saí de Pernambuco pra mostrar o intercâmbio que existe entre a linguagem da cultura popular e todas a outras linguagens que a gente acredita que podem dialogar. Apesar de ter tocado um pouco na estrutura da música, a gente não descaracterizou o pífano que está lá o tempo todo com a pegada do xote, do xaxado e do baião, e dialoga com o black music, o cordel, o frevo, jazz. Estamos abertos a dialogar com várias linguagens, deixando claro, que a nossa  música tradicional, como nós chamamos. Não gostamos de chamar de raiz, por que as nossas raízes estão invertidas como diz o poeta. A gente tem antena e saí pegando tudo. Então, as raízes da gente, tá virada pra cima. Nós já viajamos a mais de 40 países , presentando Pernambuco. Participamos do Rock in Rio. E hoje a nossa escola é formativa, sou formado em música e meu mestrado é dentro do terreiro da cultura popular. 
No palco, Anderson do Pife (concertina, direção e produção musical), se apresenta com os mestres Júnior Francês (caixa de guerra), Bastos (zabumba), Zé Gago (pratos) e Tonho (pandeiro).
A banda Zé do Estado foi herdada de José Feliciano Rodrigues (Mestre Zé do Estado). Fundada no ano de 1930, teve sua concepção, enquanto instituição artística, dentro da Feira de Caruaru, no ano de 1945, e já gravou com mestres da música popular nordestina, como Azulão, Jacinto Silva, Jackson do Pandeiro, Manoel Maurício e Dominguinhos, além de participado de filmes, tornando-se uma das entidades culturais do país de maior representatividade na proteção e difusão da arte musical dos pífanos.

Parabéns a Fundarpe, na pessoa de André Brasileiro, por esse presente que nos foi dado na noite de ontem. E um salve a cultura popular pernambucana.

Amannda Oliveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário