terça-feira, 17 de março de 2015

Recife ganha salas bilíngues para atender alunos surdos



Na tarde desta terça-feira (17), o Recife foi protagonista de mais uma ação de inclusão, desta vez nas escolas municipais. As turmas de Ensino Fundamental e Educação de Jovens, Adultos e Idosos (EJA) da Prefeitura do Recife terão salas bilíngues para atender os alunos surdos da rede. O prefeito Geraldo Julio, acompanhado do secretário de Educação, Jorge Vieira, compareceu à Escola Municipal Padre Antônio Henrique, no bairro do Derby, para a inauguração das primeiras salas que vão trabalhar com a Língua Brasileira de Sinais (Libras), iniciativa que é inédita na cidade.

“Essa é uma ação muito importante de inclusão na área de educação, são cem alunos que vão poder ter aulas de Libras a partir de agora. Sete escolas municipais receberão profissionais especializados e teremos 17 turmas em toda a nossa rede para atender esses jovens. Nossa equipe teve a sensibilidade de ver a importância de fazer a inclusão dessas pessoas para que elas tivessem um aprendizado melhor e agora, depois de uma espera muito grande de todas as famílias e alunos, teremos finalmente este grande avanço no desenvolvimento desses jovens”, destacou o prefeito.

O projeto vai beneficiar os alunos matriculados nas unidades de ensino municipais. As salas bilíngues foram regulamentadas pelo Decreto nº 28.587, de 11 de fevereiro de 2015. Nelas, os professores darão ênfase ao uso de elementos visuais, como cartazes e vídeos, que também vão proporcionar o aprendizado em Libras como primeiro idioma, ampliando o uso social da linguagem de sinais, e em português como segunda língua, para contemplar o ensino na modalidade escrita em todas as áreas de conhecimento.

O professor Joaquim Laurentino, que dá aulas de matemática nas salas bilíngues, explicou a importância da iniciativa.” Dessa maneira, os alunos terão a linguagem de sinais adicionada aos componentes curriculares, conforme recomenda o Plano Nacional de Educação, que diz ser dever do poder público ofertar a educação bilíngue. Estamos muito animados e já percebemos no semblante dos alunos a empolgação com esta novidade. Tenho certeza de que vamos colher resultados positivos em breve”, afirmou o professor.

A Secretaria de Educação do Recife selecionou 15 docentes da Rede Municipal de Ensino que têm domínio da Língua Brasileira de Sinais para trabalhar nas salas bilíngues. Dez professores ficarão responsáveis pelos alunos dos anos iniciais do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano) e pelos estudantes de EJA. Os outros cinco docentes trabalharão com os alunos dos Anos Finais (6º ao 9º ano). Além da instalação das salas bilíngues, a Prefeitura do Recife traz outra novidade relacionada à Educação Especial para o ano letivo de 2015. Os estudantes com deficiência que têm grandes comprometimentos na locomoção, comunicação e na interação social contam agora com 11 ônibus que estão sendo usados como transporte escolar inclusivo em substituição às dez vans de uma empresa terceirizada que eram usadas anteriormente.


O atendimento, que antes beneficiava cerca de 150 estudantes, agora contempla aproximadamente 200 alunos, que são transportados numa frota nova e com mais conforto.A aquisição dos coletivos foi feita com o auxílio de recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), no valor de R$ 1,6 milhão.Os pais de alunos que precisam do transporte deverão fazer a solicitação na secretaria da escola onde o filho está matriculado. Uma técnica da Educação Especial fará uma visita ao local onde a família mora para averiguar a necessidade do transporte e, uma vez aprovado, o estudante passa a usar os ônibus da Secretaria de Educação do Recife.

O secretário de educação Jorge Vieira ressaltou a abertura da gestão para as demandas de inclusão. “A gestão Geraldo Julio está aberta a ouvir as demandas da sociedade civil, sem ficar presa apenas ao que está escrito no nosso Plano de Governo. A partir da proposta do Grupo de Apoio à Criança com Câncer (GAC) fechamos uma parceria para criação da primeira classe hospitalar de Pernambuco no Hospital Oswaldo Cruz e, a partir da provocação de um grupo de surdos, elaboramos o projeto de criação das salas bilíngues. Essa comissão nos ajudou na concepção do projeto e também na formação dos professores. Estamos atentos aos pedidos da sociedade e mais uma vez demonstramos que Educação Especial é uma das prioridades da Prefeitura do Recife em 2015″, lembrou o secretário.

ASCOM

Nenhum comentário:

Postar um comentário