quinta-feira, 26 de junho de 2014

Vereador Luciano Pacheco denuncia caos no Hospital Regional de Arcoverde



Em pronunciamento, realizado na noite de ontem (25), na Casa James Pacheco, o vereador Luciano Pacheco relatou uma visita que fez ao Hospital Regional Ruy de Barros Correia, em Arcoverde, mais conhecido como Hospital Regional, onde constatou sérios problemas que vem ocorrendo naquela unidade médica.

Segundo ele: Faltam remédios, não é raro faltar água potável e também destilada(própria para os procedimentos cirúrgicos), faltam até seringas e gazes. Cerca de 49 remédios, básicos ao funcionamento de um hospital de referência como o Regional, estão em falta na farmácia daquela unidade. Dizem ser o "hospital do tiquinho", que vive de pedir a outros hospitais um "tiquinho de seringa", um "tiquinho de gaze" e por aí vai.

Por outro lado, a UTI do Regional é composta por seis leitos, no entanto os outros três não estão sendo ocupados por falta de medicamentos inerentes à medicina intensivista. Esse detalhe chega a ser interessante: enquanto o Estado de Pernambuco tem deficiência de leitos de UTI, em Arcoverde os leitos "sobram". Outro fato grave é que a produtividade e os plantões não vem sendo pagos desde abril. Sem falar que, segundo fontes, a gestora eventualmente aparece e não é vista pelos corredores do hospital desde maio. Na minha opinião, o Estado vem sendo omisso com a gestão do Hospital Regional.
A crise é tanta no Regional que onze médicos já pediram demissão, faltam refeições regulares para funcionários e acompanhantes, por várias vezes o hospital teve suas atividades paralisadas(pasmem) por falta d'água, também é comum gestantes serem removidas para "parir" em hospitais de cidades vizinhas.

Ainda quanto a questão do abastecimento no Regional, a falta água é recorrente, mas mesmo assim ocorre desperdício do líquido precioso. Por exemplo, na enfermaria da ala feminina existe uma torneira com vazamento. Quando a água chega(isso quando chega), fica horas e horas derramando sem que ninguém tome uma providência. Um verdadeiro absurdo.

Por fim, o vereador questionou e pediu a Secretaria Estadual de Saúde e ao IMIP - entidade que vai administrar a gestão da UPAE da Cohab I - relatório de atividades daquela unidade que foi inaugurada no final de março. É importante saber se, nesses três meses, a UPAE realizou algum atendimento que possa ter, de alguma forma, desafogado a precária emergência do Regional.

É preciso gritar em relação ao caos do Regional, já que muitos já perderam a vida por pura neglicencia.

Parabéns vereador.

Amannda Oliveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário