quinta-feira, 29 de maio de 2014

VERGONHA NA SAÚDE ! Paciente com câncer espera medicamento do Estado há mais de um ano

O Jornal do Comércio publicou nesta quinta-feira (29), uma reportagem a cerca da saúde no nosso estado que não surpreende dadas as circunstâncias vergonhosas na qual a saúde se encontra, mas revolta.

A matéria conta a história de Hamilton, primo de arcoverdenses que está a espera de um milagre. Sim, por que espera há mais de um ano para receber das mãos do estado os remédios necessários para tratar de um câncer.

Confira a matéria na íntegra.

Apesar da liminar do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) obrigando o fornecimento de medicamento para tratameto de câncer de medula, o Governo de Pernambuco não está entregando o remédio quimeoterápico ao paciente do SUS, Hamilton Alves Bezerra. Ele entrou com um processo  na justiça pedindo a substância em janeiro de 2013. Em janeiro deste ano, o TJPE expediu a decisão favorável ao paciente, mas até hoje o Lenalidomida 25 MG não chegou às mãos de Hamilton. 

Foto: Adusepes

O operador de caldeira, de 45 anos, enfrenta a doença desde 2008. Hamilton já fez um transplante, mas não obteve o resultado satisfatório. Para poder se submeter a uma nova cirurgia, os médicos estabeleceram em janeiro do ano passado o tratamento com Leonilidomida 25 MG. 

Como não tem condições de pagar, já que o custo total das 21 doses, as quais precisa tomar, chega a uma média de R$ 350 mil, Hamilton entrou na justiça. O processo, movido pela Associação de Defesa dos Usuários de Seguros, Planos e Sistema de Saúde (Adusepes), não obteve êxito e em dezembro de 2013 o pedido foi negado pela 7ª Vara da Fazenda da Capital. Mas desde janeiro deste ano o TJPE concedeu uma liminar para o fornecimento do remédio, pois o paciente corre risco de vida. 

Apesar da decisão, O Estado ainda não forneceu o medicamento. "O governo informa que o remédio está disponível, mas quando chego na farmácia, eles dizem que não tem."
Segundo a advogada do paciente, Izes Mendoça, o Governo de Pernambuco alega que a susbstância não está sendo fornecida, porque é proibida pela Anvisa. "Eles dizem que o medicamento é proibido ple Anvisa porque causa efeitos colaterias, mas todo quimeoterápico gera problemas. Outro fator informado é de que o Lenalidomida é importado e por isso é difícil fornecê-lo, mas nós temos conhecimento de outros doentes que estão recebendo o produto."
Em nota a secretaria Estadual de Saúde, informou que o processo de compra do medicamento já está sendo finalizado, mas como o remédio não possui registro da Anvisa a aquisição é mais demorado. 

CONFIRA A NOTA NA ÍNTEGRA -  A Secretaria Estadual de Saúde (SES) esclarece processo de compra do medicamento lenalidomida já está sendo finalizado com o crédito na conta do fornecedor. É importante esclarecer que o Revilinid não possui registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e, assim, não integra a lista dos remédios fornecidos pelo SUS. Portanto, a aquisição do remédio é feita por importação, tendo de passar pelos processos burocráticos legais e autorizações específicas para entrar em território nacional.

Em 15 de abril, a Aduseps,entrou com nova petição pedindo a majoração da multa e o  bloqueio online de R$ 200 mil reais das contas do Estado. Ontem, foi realizado um novo pedido de bloqueio das contas do estado no valor de R$ 350 mil para que Hamilton inicie o tratamento o mais rápido possível. 
Enquato o impasse não é resolvido, Hamilton segue sem tratamento e sem a possibilidade de realizar o transplante. De mãos atadas, o operador vê no tempo um indecisão sobre o futuro. A cada dia que passa as chances de superar a doença diminuem. A família é a força para Hamilton continuar lutando.“Tenho uma filha de oito anos. Não posso desistir”, diz Hamilton com uma voz cansada de quem além de lutar contra a doença, tem que enfrentar o governo nos tribunais. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário