sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Janeiro de Grandes Espetáculos 2014 já tem data marcada


Já tem data marcada a realização do 20.º Janeiro de Grandes Espetáculos – Festival Internacional de Artes Cênicas de Pernambuco. De 8 a 26 de janeiro de 2014 as cidades do Recife, Olinda, Caruaru, Arcoverde e Goiana recebem uma programação que reúne peças para adultos e crianças, montagens de rua, espetáculos de dança, shows musicais, além de lançamento de livro, oficinas, palestras e debates. 
As entradas variam de R$ 10,00 a R$ 40,00 e há também sessões gratuitas.
Em breve toda a programação de 2014 estará disponível no site do evento, que conta com quase 80 atrações diferentes, além da entrega do Prêmio Apacepe de Teatro e Dança aos melhores da programação local. Neste ano, o evento homenageia a atriz, diretora teatral e produtora cultural Lúcia Machado e o agitador cultural Jomard Muniz de Britto.
O festival conta com o patrocínio da Prefeitura do Recife, Governo do Estado de Pernambuco, Caixa Econômica Federal, Funarte e Sesc Pernambuco.

Confira a programação de Arcoverde 
Teatro Geraldo Barros – Sesc Arcoverde 
(Rua Capitão Arlindo Pacheco, 364, Centro. Tel. 87 3821 0864)

“O MELHOR SHOW DO MUNDO, na minha opinião...”
Ritalino/Triolé Cultural (Londrina/PR)
16 de janeiro (quinta), 20h, R$ 10 e R$ 5
Indicação: a partir de 10 anos.

Ritalino é um vendedor de pipocas. Mas como vender pipocas, se os artistas faltaram e o público não tem ao que assistir? Isso não é problema para este palhaço, que viu as apresentações toda noite e pensa que será fácil. Ele, então, sobe ao palco e apresenta vários números como suas pitorescas mágicas, músicas de improviso, criação de uma banda com a ajuda da platéia e até doma de animais!!! Assim, o tempo vai passando e entre uma risada e outra... lá se vão seus saquinhos de pipoca. A interação com o público acontece a todo o momento de maneira leve, confortável e cheia de trapalhadas.

 

Criação, direção e atuação: Tiago Marques. Operação de luz: Alexandre de Oliveira Simioni. Operação de som: Gerson Bernardes.


Na Terra dos Esquecidos – Geraldo Maia, Vinícius Sarmento e Clarisse Fernandes
Fafe Cidade das Artes e Associação dos Produtores de Artes Cênicas de Pernambuco – Apacepe (Fafe/Portugal e Recife/PE/Brasil)
17 de janeiro (sexta), 20h, R$ 10 e R$ 5 (excepcionalmente na Escadaria)

O projeto Canções da Terra dos Esquecidos surge de uma parceria entre Pernambuco e Portugal com o objetivo de promover a aproximação de criadores e artistas do mundo ibérico, do Nordeste brasileiro e do Norte de Portugal. Reuniram-se na cidade de Fafe (Portugal), em regime de residência artística, os músicos brasileiros Geraldo Maia e Vinícius Sarmento com a jovem cantora portuguesa Clarisse Fernandes, para dar vida a um projeto de fusão de sonoridades, palavras e imagens que revelam a proximidade cultural dos nossos povos.

Direção musical: Moncho Rodriguez. Compositor: Narciso Fernandes. Poemas dramáticos: Moncho Rodriguez e Pompeu Martins. Iluminação: Caetano Silva. Intérpretes: Geraldo Maia (cantor), Vinícius Sarmento (violonista), Clarisse Fernandes (cantora).

O Tempo Perguntou ao Tempo
Grupo Acaso e Escola Bailado de Fafe (Recife/PE/Brasil e Fafe/Portugal)
18 de janeiro (sábado), 20h, R$ 10 e R$ 5

O espetáculo é uma viagem lúdica ao mundo das parlendas (rimas infantis), brincadeiras e personagens de nossas infâncias. A obra, partindo de pesquisa sobre cantigas e parlendas em comum entre Portugal e o Brasil, aborda a importância de manter o imaginário dos tempos de criança vivo em nossas lembranças. O projeto envolveu o Grupo Acaso, criado em 2011 no Recife, com foco entre a dança contemporânea e o popping; e a Escola Bailado de Fafe, Portugal, em atividade desde 1998 voltada aos conhecimentos da dança clássica, além de técnicas modernas, contemporâneas, bem como danças de caráter e expressão dramática.

Direção: Bárbara Aguiar. Coreografia e cenário: Grupo Acaso e Escola Bailado de Fafe. Iluminação: Cleison Ramos. Trilha sonora: Narciso Fernandes. Figurinos: Marília Martins e Bárbara Aguiar. Diretora da Escola Bailado de Fafe: Alexandra Fonseca. Elenco: Fernando Oliveira, Felipe Dupopping, Hulli Cavalcanti, Hayla Cavalcanti, Regina Medeiros (Grupo Acaso), Susana Barros, Ana Dias e Margarida Teixeira (Escola Bailado de Fafe). Produção executiva: Apacepe e Fafe Cidade das Artes.

Per Edith Piaf

Teatro Potlach (Itália/Suíça)

19 de janeiro (domingo), 20h, R$ 10 e R$ 5
*Falado em português, com canções em francês.
Indicação: a partir de 14 anos.

O espetáculo é uma viagem musical na França dos anos 1930 a 1950 através das canções de Edith Piaf. Um conto de uma época, momento histórico em toda a Europa, da chegada da II Guerra Mundial que dizima tantas famílias, da Resistência Francesa, da luta pela vida; das poesias de Jacques Prévert, das fotografias de Cartier-Bresson, dos contos teatrais de Cocteau; das melodias dos filmes de Chaplin, das imagens e personagens de Roma Cidade Aberta, de De Sica.  O espetáculo trata da força que une todas essas histórias, talvez ainda mais do que Piaf resume na frase: “Não deixe nunca de acreditar no amor, aconteça o que acontecer”.

Direção: Pino di Bududo. Produção no Brasil: Palipalan Arte e Cultura. Intérprete: Nathalie Mentha.

AbraCASAbra! – A Mágica Mora Aqui
Rapha Santacruz Produções Artísticas (Recife/PE)
23 de janeiro (quinta), 16h, R$ 10 e R$ 5

Espetáculo teatral de mágica, numa proposta interativa, que mescla a arte do ilusionismo com as atividades do dia-a-dia, temperando tudo com pitadas de humor. Em cena, situações corriqueiras como arrumar a casa, preparar bebidas e encher um aquário, são cenário para a mágica acontecer, enquanto um rapaz espera pela sua amada. A montagem aproxima o público da mágica, ajudando, de um jeito poético, a lançar reflexões acerca das atribulações da vida contemporânea que acabaram afastando os indivíduos da espontaneidade e da leveza.

Criação, direção e interpretação: Rapha Santacruz. Direção de produção e co-direção: Christianne Galdino. Assistente de produção: Sílvio Barreto. Cenografia, figurino, iluminação e seleção musical: Rapha Santacruz Produções Artísticas.

Haru – A Primavera do Aprendiz
Rapha Santacruz Produções Artísticas (Recife/PE)
23 de janeiro (quinta), 20h, R$ 10 e R$ 5

Em uma barraca de feira, ficção e realidade se apresentam mescladas. Nesse cenário misterioso, o jovem mágico busca orientação de um sábio mestre para aperfeiçoar os seus dons ilusionistas. O aprendiz não tem consciência do seu potencial e vai descobrir o encantamento que brota da simplicidade em cada cena, num jogo lúdico onde a mágica é a verdadeira protagonista. Nesse aprendizado mágico que vai além dos livros e das palavras, mestre e aprendiz constroem um universo paralelo, onde a ilusão é a verdade absoluta.

Concepção: Rapha Santacruz e Christianne Galdino. Roteiro: Rapha Santacruz, Christianne Galdino, Marcondes Lima, Jorge de Paula e Andréa Veruska. Colaboração dramatúrgica: Carla Denise. Direção, cenografia, figurinos e maquiagem: Marcondes Lima. Adereços: Alcio Lins e Marcondes Lima. Assistente de direção: Andréa Veruska. Colaboração em linguagem cômica (técnicas de Clown): Fernando Sampaio. Trilha sonora original: Marcelo Sena. Desenho de luz: Eron Villar. Diretora de produção: Christianne Galdino. Assistente de produção: Sílvio Barreto. Intérpretes criadores: Rapha Santacruz e Jorge de Paula.

O Espelho da Lua
Tropa do Balaco Baco (Arcoverde/PE)
24 de janeiro (sexta), 20h, R$ 10 e R$ 5
25 de janeiro (sábado), 16h, R$ 10 e R$ 5

A história da Vitória Régia, tradicional lenda amazônica, é narrada por atores e bonecos através da trajetória de Naiá, uma índia que, desde criança, nutre um forte amor por Araúna, a Lua. Ao se ver moça, ela decide trilhar o caminho em busca do seu amor, mas depara-se com  Atiê, índio  guerreiro, por ela apaixonado, que possui o poder de se transformar nos seres da natureza. Ele, então, resolve desnortear os passos da indiazinha no intuito de ganhar seu amor. Numa incansável jornada trilhada entre o céu e a terra, o fogo e o ar, Naiá finalmente pontua seu destino ao deparar-se com o espelho da lua refletido na água.

Texto: Romualdo Freitas. Direção: Ney Mendes. Preparação corporal: Fabian Queiroz. Iluminação: Vítor Cruz. Música, figurinos, maquiagem e cenário: Tropa do Balaco Baco. Elenco: Everson Melo, Fabiana Moraes, Paulo Almeida e Renata Cordeiro.

Para Josefina
Grupo Acaso (Recife/PE)
26 de janeiro (domingo), 16 e 20h, R$ 10 e R$ 5 em cada sessão

Homenagem a consagrada pianista pernambucana Josefina Aguiar a partir das impressões da sua neta, a diretora Bárbara Aguiar, que declara seu amor à avó e traça um perfil sobre sua personalidade e atividade artística. O espetáculo traz como ponto de partida a fusão entre a dança contemporânea e o popping, um estilo do universo hip hop. Em cena, a vitalidade e a poesia da pianista, o retrato do artista que completa o instrumento, o despertar do seu talento e a percepção do corpo como parte de todo e qualquer instrumento musical.

Concepção e direção: Bárbara Aguiar. Assistente de direção: Fernando Oliveira. Coreografia: Grupo Acaso. Execução das músicas: Josefina Aguiar (em memória). Figurinos: Maria Cristina. Iluminação: Cleison Ramos. Elenco: Hulli Cavalcanti, Hayla Cavalcanti, Felipe Dupopping, Fernando Oliveira e Marcelo di Paula.

Amannda Oliveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário