quinta-feira, 25 de julho de 2013

500 famílias que ocupavam a Estação do IPA em Arcoverde serão atendidas pelo Programa Minha Casa Minha Vida 2

 

Um total de 500 famílias que ocupavam a Estação Experimental do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), em Arcoverde, serão atendidas pelo Programa Minha Casa Minha Vida 2. A solução para o relocamento foi discutida com os moradores, na manhã desta quarta-feira (24), naquele município do Sertão do Moxotó, sob a coordenação do secretário de Agricultura e Reforma Agrária, Aldo Santos

Participaram da discussão o presidente da Companhia Habitacional de Pernambuco (Cehab-PE), Flávio Figueiredo, a prefeita Madalena Brito, o coordenador do Movimento Pró-Arcoverde, que foi prefeito do município e também ex-deputado, Israel Guerra, além do presidente do Conselho Promocional das Associações de Moradores de Arcoverde, Alberto Estevo.  

Aldo Santos falou da preocupação do Governo do Estado em garantir uma necessidade básica e prioritária da população, o direito à moradia. “Vamos trabalhar para contemplar a luta dessas pessoas pela casa própria e para que elas tenham melhor qualidade de vida”, falou.

O presidente da Cehab, Flávio Figueiredo, informou que até o final do próximo mês de agosto o cadastramento das famílias para o Minha Casa Minha Vida terá sido concluído. Ele também explicou os critérios para participação do Programa, como não possuir financiamento de imóvel, além das condições do financiamento. “Cada família pagará a parcela de R$ 25,00 mensais durante 10 anos”, informou. A prefeita de Arcoverde, Madalena Brito, assegurou que o empreendimento será dotado de infraestrutura por parte da Prefeitura, a exemplo de creches, acessos e vias calçadas.

A representante dos moradores, Silvanete Pereira, saiu da reunião satisfeita com a solução. “Agora não tenho dúvidas que teremos nossa situação resolvida”, falou, acrescentado que a maioria das famílias é formada por mães solteiras que precisam ter a moradia assegurada.

Agricultores
Ainda na manhã desta sexta-feira, o secretário Aldo Santos reuniu-se com outras 32 famílias de agricultores familiares que ocupavam a Fazenda do IPA e que também devem ser relocadas em decorrência de critérios exigidos pelo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), para o funcionamento do Laboratório de Melhoramento Genético.

“Aqui o Governo do Estado está investindo quase R$ 3 milhões em trabalhos experimentais e de melhoramento genético do rebanho pernambucano que vai atender a 100 mil produtores”, salientou Santos. O diretor de Pesquisa do IPA, Antônio Santana, reforçou que além do Laboratório, a Estação realiza seleção de variedades de palma resistente à praga cochonilha do carmim.  “O Mapa exige que tanto para o funcionamento do Laboratório quanto para a realização dos experimentos, as dependências da Fazenda sejam preservadas da grande circulação de pessoas”, salientou.

O secretário adiantou às famílias serão assentadas em outra área a ser identificada junto com o Instituto de Terras de Pernambuco (Iterpe), além de serem incluídas no Programa de Crédito Fundiário. “Uma representação dos trabalhadores vai identificar com o órgão da Secretaria uma área para que as famílias possam ser assentadas e produzir o seu sustento com segurança”, falou.

Informações: ASCOM

Nenhum comentário:

Postar um comentário