quarta-feira, 19 de junho de 2013

Brasil vence o México com show da torcida cearense

Neymar comemoração gol Brasil México (Foto: EFE)
Neymar vibra com a torcida: combinação perfeita no Castelão (Foto: EFE)
Com uma rodada de antecedência, o Brasil já tem a classificação para a semifinal da Copa das Confederações bem encaminhada. A equipe do técnico Felipão contou com um grande apoio da torcida cearense, que estimulou a todo o momento a seleção e atuou como o verdadeiro 12º jogador. Como retribuição, o time fez 2 a 0 em cima do México e, de quebra, ainda eliminou o carrasco das Olimpíadas de Londres da competição. Neymar, com um golaço, e Jô anotaram o nome no marcador.

No lado de fora do estádio, o clima era tenso entre manifestantes e policiais. Milhares de pessoas que protestavam contra os gastos do dinheiro público com a Copa do Mundo tentaram chegar ao estádio e foram contidos pelos agentes na principal rua de acesso ao Castelão. Houve tiros de borracha, bombas de efeito moral e, como revide, pedras da inacabada obra da Avenida Alberto Craveiro.

Logo no início do jogo, o apoio do público cearense parece ter mesmo motivado os jogadores dentro de campo. Os espectadores mostraram o carinho pela seleção ao soltar a voz para cantar o Hino Nacional. Com isso, logo nos primeiros minutos, o ataque brasileiro colocou pressão na defesa mexicana, principalmente pelo lado esquerdo, na velocidade de Marcelo e Neymar.

Aos quatro minutos, o goleiro Corona já sabia que teria muito trabalho ao longo da partida. Após um cruzamento de Neymar, Hulk chutou e a bola desviou na zaga. O atacante do Barcelona acabou tendo mais uma chance, apontando um bom cruzamento para Oscar, que finalizou com precisão. O gol, entretanto, foi anulado, já que Neymar estava impedido.

Mas era apenas questão de tempo até o placar sair do zero. Pouco tempo depois, Daniel Alves teve a oportunidade de cruzar pela direita. O zagueiro mexicano cortou mal e a bola foi em direção ao Neymar. O craque da camisa 10 pegou de primeira, sem deixar ela cair no chão, e acertou um golaço: 1 a 0.

E o gol não serviu para acomodar o time de Felipão. Aos 13 minutos, Daniel Alves viu que o goleiro estava adiantado e tentou surpreendê-lo com um chute de fora da área. Corona, no entanto, conseguiu se recuperar e salvar com uma bela defesa.

Com o placar adverso, que eliminaria a equipe da competição, o México resolveu partir para o ataque e quase conseguiu o triunfo. Daniel Alves e Hulk falharam na marcação e permitiram um cruzamento perigoso de Chicharito. No bate e rebate, Marcelo não conseguiu afastar e, por pouco, Mier não acertou o gol.

A fim de frear a reação mexicana, o Brasil voltou a usar a habilidade dos atacantes. Aos 22 minutos, Fred acertou um lançamento perfeito para Neymar que, sozinho com dois marcadores, fintou bonito com o peito e chutou forte. A bola, porém, foi para fora.

No fim da primeira etapa, David Luiz acabou machucando o nariz ao tentar afastar uma bola de cabeça. Com isso, o zagueiro precisou sair de campo para ser atendido. Os médicos da seleção tiveram dificuldades para estancar o sangramento, fazendo com que o Brasil ficasse com um jogador a menos por quase cinco minutos. No fim, Giovani dos Santos, cobrou uma falta que por pouco não entrou, desperdiçando a chance de deixar tudo igual nos primeiros 45 minutos.

Na volta para o segundo tempo, sem alterações nas equipes, o cenário dos primeiros minutos se repetiu. Após cobrança de falta de Neymar, Thiago Silva conseguiu uma antecipação e mandou uma cabeçada para a rede. O bandeirinha, mais uma vez, anulou por impedimento. Depois, aos nove minutos, Hulk fez uma boa tabelinha com Neymar, mas o chute terminou na rede pelo lado de fora. Sem tempo para deixar o México respirar, na jogada seguinte, foi a vez do próprio Neymar assustar o goleiro com uma bola rasteira.

Com o tempo correndo e a eliminação chegando, o México foi obrigado a tentar avançar. De la Torre tirou o lateral Flores e botou o meia Herrera. Como efeito, aos 14 minutos, Guardado cruzou rasteira para a área e, graças a David Luiz, que fez o corte, a bola não achou Chicharito, que estava livre. Como resposta, Felipão trocou o apagado Oscar para apostar no volante-artilheiro Hernanes.

A partir daí o jogo esquentou. Aos 18 minutos, Giovani dos Santos fintou Luiz Gustavo e assustou a defesa brasileira. Firme na marcação, David Luis recuperou a bola e ligou um bom contra-ataque. Coube ao meia-atacante Hulk, na força física, ganhar na marcação durante todo o campo, passando por cinco jogadores rivais. Ele soltou a bola para Neymar, que chutou fraco para a defesa de Corona.

Depois de uma reação mexicana, que passava a assustar o goleiro Julio César, Scolari resolveu atender os pedidos da torcida e colocou Lucas no time no lugar de Hulk. Apesar da velocidade do jovem atacante, foi o México que continuou buscando o gol. Aos 35 minutos, Daniel Alves salvou um chute venenoso de Guardado, que quase empatou.

Quando o resultado já parecia definido, brilhou novamente a estrela de Jô, que havia entrado no lugar de Fred. O centro-avante recebeu um passe na medida de Neymar, que deu um drible desconcertante no zagueiro rival, e finalizou com categoria: 2 a 0.

Sem tempo para mais nada, a seleção brasileira agradeceu os aplausos da torcida e festejou os três pontos que o colocaram na liderança do Grupo A. A equipe aguarda agora o resultado de Japão x Itália para saber se já está classificado para a semifinal com uma rodada de antecedência. O México, por outro lado, já está eliminado.

O próximo desafio do Brasil será no sábado (22) contra a Itália na Arena Fonte Nova, em Salvador.
Fonte: O Repórter

Nenhum comentário:

Postar um comentário