Diante dos pleitos direcionados ao poder Executivo Municipal, pelas organizações de classes no que diz respeito às normas da ordenação do trânsito pela Zona Azul, o prefeito Zeca Cavalcanti assinou o Decreto N º310/2012, no último dia 28 de novembro, que dispõe sobre medidas de otimização para adequações dessas normas.

Assim, fica estabelecido o tempo de permanência nos locais de abrangência, que passa de duas para até quatro horas. O valor da hora continua a ser R$ 1,20. Por exemplo, se o condutor for ficar até três horas irá pagar R$ 3,60.

No artigo 2º, fica determinado a Autarquia de Transito de Arcoverde – Arcotrans e aos responsáveis da empresa SinalPark, a abertura de vagas para fins de realização de carga e descarga em pontos conflitantes para o comércio.

No artigo 3º, fica estabelecida de dez minutos a tolerância para parada nos locais de abrangência da área. No artigo 4º, fica determinado, que os organizadores orientem o condutor a corrigir o problema, caso tenha estacionado de modo incorreto, sem que se realize a cobrança em duplicidade.

Já o artigo 5º, refere-se ao tratamento das agentes da Zona Azul, para que seja de forma cordial e educativa e em caso de desvios de comportamentos ou excessos, sejão apurados e punidos pela Arcotrans.

De acordo com o presidente da Autarquia, Vlademir Cavalcanti, a SinalPark deu um prazo até o 17 de dezembro para adequação das 128 placas de sinalização e da nova configuração  do parquímetro.

Implantação - A Zona Azul começou a funcionar efetivamente no dia 29 de outubro. Arcoverde foi a primeira cidade nordestina a contar com os equipamentos (parquímetros) eletrônicos. São 17 (dezessete) parquímetros distribuídos pelas principais ruas e avenidas da cidade, com mais de 400 locais de estacionamentos.

As máquinas que retiram o ticket recebem qualquer tipo de moeda e também usam cartão recarregável, podendo qualquer usuário fazer a própria recarga no parquímetro. Cada cartão custa R$ 20,00.

Colaboração: Teresa Padilha