sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

NUME nascimento, desenvolvimento e perspectivas para 2013




Ele começou a tocar cedo em Arcoverde com a galera que fazia rock em um movimento chamado Sistema Galango. Entrou para o Cordel do Fogo Encantado em 1999 onde ficou até o término da banda em fevereiro de 2010.

No mesmo ano nascia em Arcoverde o projeto intitulado NUME, idealizado por ele e repleto de composições próprias e manifestações artísticas do litoral ao sertão do estado e teve como parceiros Caio Sotero, Alex Nicolas e produção musical de Can Kambey.

Nós estamos falando de Emerson Calado, ex-integrante da Banda Cordel do Fogo Encantado que conversou conosco e falou sobre os novos rumos do Projeto Nume e da sua carreira.

Confiram: 

Falando Francamente: Como surgiu a ideia do nome NUME?

Sempre me atrai pela música ritualística dos povos ancestrais, e o sentido do nome representa tudo isso, por abordar a força mística do som.

Falando Francamente: O Trabalho foi lançado no dia 14 de abril deste ano durante o Festival Pernambuco Nação Cultural em Arcoverde. Quais os passos que o trabalho seguiu desde então?

O grupo passou por uma reformulação brusca, com saída do vocalista Joaquim Izidro, que também é parceiro de composição das músicas do grupo, isso provocou um recomeço necessário e com resultado satisfatório.

Pois foi daí que resolvi retomar parcerias com Nego Henrique, com quem trabalhei por mais de 10 anos no cordel do fogo encantado, e pude iniciar uma parceria com um ícone da música popular de Pernambuco que é Silvério Pessoa.

Falando Francamente: A palavra NUME tem algum significado indígena ou é uma palavra do nosso português mesmo?

NUME é uma palavra quem vem do português, e tem um amplo significado, por se tratar de um termo livre de crenças específicas.

No dicionário NUME significa: Divindade, poder celeste.
Divindade mitológica.Gênio, espírito sobrenatural.Influxo, inspiração.Nume tutelar, espírito protetor.

Falando Francamente: Como surgiu a parceria com Silvério Pessoa?

Silvério é referência para mim pelo trabalho desenvolvido com culturas sempre nos encontramos e tivemos uma relação de cumplicidade fiz o convite, e ele aceitou de primeira, e desde então só percebo cada vez mais integração.

Falando Francamente: O que o público pode esperar de Emerson Calado para 2013?

Muitos projetos em construção como o Tapuia, que é um trabalho que só estava em mente por muitos anos, e que hoje tenho maturidade para colocar em prática, pois vou abordar cantos indígenas Xukuru com uma percussão contemporânea além de parcerias em projetos em outras regiões do Brasil como uma segunda etapa do: Ahteia em Minas Gerais, e com a banda de rock Orkhéstra do Caos em Brasília.

Amannda Oliveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário