quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Eduardo participa da inauguração de duas novas fábricas em Pernambuco

nor 

Na contramão do processo de desindustrialização vivenciado no Brasil e no mundo, Pernambuco segue ampliando seu portifólio de fábricas. Prova desse processo está na agenda cumprida nesta quarta-feira (17/10) pelo governador Eduardo Campos. Numa única tarde Eduardo prestigiou a ampliação da unidade industrial da Norship Metal e a inauguração da fábrica da Pernambuco Industrial. As solenidades aconteceram nos municípios do Cabo de Santo Agostinho e no Complexo de Suape, ambos localizados na Região Metropolitana do Recife.

Na passagem pelas duas fábricas, Eduardo destacou a retomada da industrialização vivenciada pelo estado, fruto do “roteiro traçado” no Plano de Governo elaborado em 2006.  “Nós sentimos aqui o efeito do olhar estratégico que Pernambuco tem feito para se posicionar nos setores da economia onde vamos ter um conjunto importante de investimentos nos próximos anos”, explicou ao lembrar que a participação da indústria no PIB do estado amargava índices abaixo de 20%, mas que chegará a 2014 com uma expressão de 30%.

Secretário de desenvolvimento econômico, Frederico Amâncio disse que a inauguração das duas unidades industriais carrega o “simbolismo do crescimento do estado”.  O início da operação das duas fábricas também vai contribuir para geração de emprego e renda em Pernambuco.  Juntas, as duas unidades vão gerar 550 novos postos de trabalho.

“Nesses últimos cinco anos conseguimos um aumento de 500 mil empregos de carteira assinada no mercado de trabalho de Pernambuco. D’esse total, tivemos um conjunto de 150 mil empregos que vieram entre 2007 e 2011 da indústria”, comemorou Eduardo.

 Norship - A Metalalúrgica é focada na fabricação de equipamentos, acessórios e caldeiras para atender a indústria naval e de offshore, além dos setores de óleo e gás.  Com a expansão do parque industrial da Norship, os empreendedores Jorge Ferreira e Reiqui Abe esperam, nos próximos seis meses, dobrar a capacidade de produção de aço industrializado de 250 para 500 toneladas/mês. ´

Com a expansão, a empresa passa a contar agora com dois grandes galpões de fabricação e montagem, um com 1.500 m2 e a outra área descoberta com 1.200 m2. O investimento de R$ 8 milhões na ampliação da unidade também vai dobrar a oferta de empregos, que saltará de um quadro de 250 funcionários para 400, além dos 80 empregos indiretos. A Norship iniciou suas atividades em 2010 com apenas 40 colaboradores. Cerca de 95% do quadro de funcionários da empresa é composto por trabalhadores da localidade.

Além da construção dos galpões, os empreendedores investiram também na compra de novos equipamentos e na qualificação profissional dos colaboradores. Presidente da Norship, o engenheiro Jorge Ferreira justificou a escolha do Cabo de Santo Agostinho pela “boa acolhida” e pela “localização estratégica junto aos principais pólos industriais e comerciais”. O empreendedor também elogiou a contribuição do governador Eduardo Campos para a expansão do segmento. “O senhor é quem tem trazidos essas inúmeras oportunidades para a indústria”, disse Ferreira ao discursar para cerca de 300 funcionários da empresa.

pePernambuco Industrial -  O foco dessa nova unidade industrial que ocupa uma área de 12,6 hectares é a produção de estruturas pré-fabricadas de concreto. Com investimentos da ordem de R$ 55 milhões, a Pernambuco Industrial oferecerá um mix de estruturas pré-fabricadas da que compreende a produção de estacas centrifugadas, lajes alveolares, painéis alveolares, vigas protendidas e armadas, além de pilares e peças especiais.

A ampla linha de produtos vai atender segmentos de obras industriais, logística, mercado imobiliário, entre outros.  A meta da Pernambuco Industrial é conquistar 40% do mercado de produtos pré-fabricados de concreto produzindo cerca de 4 mil m3 de peças por mês. A inauguração da empresa também vai gerar 300 novos postos de trabalho. A empresa já prevê sua primeira ampliação o segundo semestre de 2013.

O uso de pré-moldados pode reduzir em 50% o tempo de finalização de uma construção, além de assegurar maior durabilidade e a possibilidade de integração entre os diferentes sistemas construtivos segundo pesquisas recentes da Federação Internacional do Concreto. A Pernambuco Industrial pertence ao Grupo Pernambuco Construtora, que atua há mais de 45 anos no mercado da construção civil.

Informações:ASCOM

Nenhum comentário:

Postar um comentário