quinta-feira, 21 de junho de 2012

Tradição dos Pernas de Pau se renova e encanta em Arcoverde.

Arcoverde é conhecida como a Terra do Samba de Coco, mas quem passa por aqui no período junino descobre que esta terra tem outros talentos e que acaba sendo chamada de a Terra dos Bois ou até mesmo dos Pernas de Pau, sim, dos Pernas de Pau, e não estamos falando de um time de futebol com jogadores ruins não, estamos falando do teatro onde os artistas se apresentam sob pernas de pau e encantam o público no São João de Arcoverde.

Na cidade onde a multiculturalidade é palpável, os pernas de pau encantam pela desenvoltura dos artistas , pela alegria que invade os espaços onde se apresentam e pelas cores das roupas que atraem os olhares do público. 

Em conversa com Everaldo Marques, coordenador e diretor da Quadrilha Mulambembes parte integrante do Boi Maracatu, ele destacou que o grupo é resultado de um movimento que passou a existir há muitos anos atrás, quando os artistas sentindo a falta de um espaço cênico para trabalhar o teatro e o circo, fizeram da rua este espaço e criaram os Pernas de Pau fazendo uma quadrilha de animação. Em 1999 Romualdo Freitas e Henri Pereira, apresentam uma proposta a prefeitura de Arcoverde de uma quadrilha que se apresentaria sobre pernas de pau, sendo intitulada " Quadrilha Romance Sertanejo" que era fragmentado como novela que se apresentava nos mais diversos polos da cidade. O sucesso foi tamanho que o projeto começou a viajar pelo Brasil. 
Os criadores começaram a voar alto e não tiveram como manter o projeto na cidade que foio assumido por Everaldo, intitulando -os de mulambembes, atuando na cidade de Arcoverde nas áreas de periferia, mostrando o mundo das artes a crianças em situação de risco social. 
No início a  "'Quadrilha' contava a história do romance entre Zé Bebelo, que não queria se casar por nada nesse mundo, e Quitéria, filha do coronel e a moça mais rica da cidade. Ela já está passando da idade de se casar e morrendo de medo de ficar para titia. Quando o pai de Zé, Sifrônio, estava a ponto de esganar o filho para que ele case-se logo, eis que surge uma versão sertaneja do mitológico cupido, deus do amor. Em vez de usar flecha, ele atinge em cheio o coração do rapaz com uma baleadeira. Zé fica apaixonado no ato e só quer saber de ficar com Quitéria, mas o casal de pombinhos é flagrados em um 'amasso' pelas três maiores fofoqueiras da cidade, que tratam de espalhar aos quatro ventos que Quitéria perdeu a virgindade antes do casamento." no final tudo vira uma grande festa.

A trupe dos pernas de pau , tem trabalhado em parceria com a Secretaria de Assistência Social junto a programas que atuam com crianças e adolescentes.
Na programação dos São João dos Sertões, o grupo deve se apresentar no próximo dia 22 no polo vila olho d`água.

Amannda Oliveira


Um comentário: