quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Festival Pernambuco Nação Cultural promove Roda de Mestres em Petrolina

Foto: Divulgação


Divulgar a história das manifestações da cultura popular do estado de Pernambuco por meio das narrativas daqueles que a produzem no dia a dia é o objetivo da Roda de Mestres: Pontuando Saberes, atividade a ser realizada nos dias 22 e 23 de setembro, dentro da programação do Festival Pernambuco Nação Cultural - Sertão do São Francisco 2011, na Faculdade de Formação de Professores de Petrolina/UPE. A ação reunirá mestres dos mais diferentes segmentos da cultura popular do estado de Pernambuco, expressivos para região do Sertão do São Francisco e de reconhecido valor e importância para o cenário artístico-cultural do estado, com foco voltado para a valorização dos saberes e a formação de plateias.

“O objetivo é criar um espaço de reflexão sobre manifestações culturais expressivas na região do São Francisco, como a sambada e o batuque, o Reisado e o São Gonçalo, o repente, o cordel e a literatura popular, o pífano, além de propor o intercâmbio com representantes de outras expressões menos frequentes no sertão, como o coco e o maracatu”, explica Adrianna Figueiredo, coordenadora técnica da Ação dos Pontos de Cultura no estado de Pernambuco. Para Adrianna, a valorização dos saberes da cultura popular representa uma “retratação histórica do papel fundamental dessas manifestações artístico-culturais para a história social de nosso país”.

Também estará aberta à visitação, no mesmo local, a exposição fotográfica “Um Olhar sobre os Pontos de Cultura”, com imagens produzidas e enviadas pelas próprias entidades. A Roda de Mestres: Pontuando Saberes é uma iniciativa da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), órgão vinculado à Secretaria de Cultura do Estado de Pernambuco, por meio das Diretorias de Gestão do Funcultura (Fundarpe) e de Formação Cultural (Secult-PE), dentro da programação das atividades de formação cultural realizadas no Festival Pernambuco Nação Cultural - Sertão do São Francisco 2011.

PROGRAMAÇÃO


QUINTA (22 DE SETEMBRO)

14h: Abertura da Roda
Adrianna Figueiredo- Coordenadora Técnica dos Pontos de Cultura – Fundarpe
Adiel Luna- Coordenador de Formação- Fundarpe

14h30 às 17h30:
Mediadores: Adrianna Figueiredo e Adiel Luna
•    Mestres de Sambada e de Coco:
1.    D. Amélia – Ponto de Cultura Samba de Véio (Sambada)
2.    Mestre Zé de Teté (Coco)
•    Mestres de Pífano/ Maracatu:
1.    João do Pífano (Pífano)
2.    Manoelzinho Salustiano (Maracatu)

SEXTA (23 DE SETEMBRO)

14h às 17h:
Mediadores: Adrianna Figueiredo e Adiel Luna
•    Mestres de Repente/Cordel:
1.    Natanael Cordeiro – Repentista
2.    Edvaldo Aboiador 
•    Mestres de Reisado e São Gonçalo:
1.    Mestre Geraldo Rodrigues - Reisado da Vila do Mocó
2.    Mestre Seu Luis - São Gonçalo de Cabrobó

17h30 - Encerramento: Reisado da Vila do Mocó




PARTICIPANTES:

Amélia / Reisado na Ilha do Massangano e Samba de Véio – Moradora da Ilha do Massangano, desde criança participa do Reisado, aprendendo em casa a brincadeira, que já teve como mestres seu pai, sua mãe e um tio. Hoje é a responsável pelo brinquedo e toda a família participa. Sendo figura importante e conhecida na região, atua também no Samba de Véio, que atende à comunidade da ilha, através do Ponto de Cultura Espaço Artístico do Samba de Véio na Ilha de Massangana.

Zé de Teté / Coquista – Desde criança brincava o coco em Limoeiro e teve como inspiração o mestre Paulo Faustino, coquista conterrâneo ainda vivo. Aprendeu vendo outros mestres tocando e começou a trabalhar como coquista em 1970. Já realizou apresentações em vários municípios de Pernambuco e em Aracajú; tem 9 CDs gravados, DVD e documentário sobre seu trabalho. Concorreu ao Registro de Patrimônio Vivo. Dispõe-se a ensinar coco a quem estiver interessado.

João do Pife / Pifeiro
 – Músico, artesão, comerciante e mestre, tem no pífano o objeto de seu trabalho. Desenvolve um projeto que leva vários mestres da cultura popular ao bairro do Salgado, em Caruaru, chamado Música no Salgado. Concorreu ao Registro de Patrimônio Vivo. Já se apresentou em vários países da Europa e nos Estados Unidos.

Manoelzinho Salustiano / Maracatu Piaba de Ouro – Filho primogênito de Mestre Salustiano, aprendeu e herdou do seu pai os “saberes” e os “fazeres” da cultura popular da Zona da Mata Norte pernambucana, com quem aprendeu a história de folguedos como cavalo marinho, maracatu de baque solto, mamulengo e ciranda. Foi com esses ensinamentos que começou a desenvolver as habilidades de artesão na confecção de vestuários, bordados em estandartes, golas e guiadas no Maracatu de Baque Solto Piaba de Ouro e adereços carnavalescos de outras agremiações. Preside a Associação de Maracatus de Baque Solto de PE, a qual desenvolve ações também através do Ponto de Cultura Fazendo a Sambada com Bordados, Música, Cidadania e Empreendorismo.

Natanael Cordeiro / Repentista – Ainda pequeno, desfrutou das lições do pai, Gabriel Cordeiro, também cantador, e teve na figura do tio, Isac Cordeiro, outra fonte de inspiração para o trabalho como locutor e repentista. Como forma de fortalecimento da cultura popular, apresenta dois programas na Rádio Grande Rio AM, o “Clube do Cantador” e o “Natanael Cordeiro com a sanfona e a viola”, há 14 anos no ar. Premiado em concursos de cantadores, é também presidente da Associação de Cantadores. Participa de ações desenvolvidas pelo Ponto de Cultura Artes do Sertão, do Centro de Atividades Nilo Coelho.

Edvaldo Aboiador – Nascido em Serra Talhada, desde menino foi fascinado pelo universo dos aboiadores e vaqueiros. Começou a cantar aos 14 anos, em Serra Talhada, acompanhado pelo mestre Manoelzinho Aboiador, de Caruaru, tendo sido seu mestre e fonte de inspiração. Aprendeu com que estivesse disposto a ensinar, sempre observando os artistas mais experientes. Já se apresentou no Piauí e no Maranhão e participa de um programa na Rádio Grande Rio AM, chamado “Forró do Malhadão”, com Carlos Augusto.

Geraldo Rodrigues / Reisado da Vila do Mocó – Iniciado no brinquedo pelo mestre Nego João, responsável por levar o Reisado de Alagoas a Petrolina. Começou tocando guizo, ainda criança, entre os anos de 1975 e 1980. Após a morte do mestre Nego João, o Reisado foi suspenso, até 1995, quando a Prefeitura de Petrolina incentivou a retomada desta tradição.

Seu Luis / São Gonçalo de Cabrobó – Começou a brincar São Gonçalo aos 10 anos, pois seu pai era o mestre do grupo, tendo sido treinado para substituí-lo. Há cinco tornou-se mestre e toca o grupo, tendo também filhos seus participando e tocando, um deles, inclusive, também sendo treinado para assumir a maestria no futuro.
Fonte: FUNDARPE

Nenhum comentário:

Postar um comentário