domingo, 24 de julho de 2011

Lá se vai o 21.º Festival de Inverno de Garanhuns. Fica a saudade!

Foto: Amannda Oliveira

Luzes apagadas, cortinas fechadas, silêncio... Acabaram os espetáculos, o circo já voltou a estrada, o teatro se despediu, as telas do cinema ficaram mudas e escuras. Pelas ruas funcinários desmontam uma estrutura gigantesca, de um evento cuja decoração deu um show a parte, lá se vai o 21.º Festival de Inverno de Garanhuns. E nos espaços vazios a saudade.

Foram 10 dias de arte nas ruas, nos caminhões, no ônibus, no táxi, literatura que chegava em casa, circo que encantava diversas gerações no parque , e é claro, música. Música para todo gosto e nos mais diversos espaços. Era Pau Pombo, Martriz de Santo Antônio, Guadalajara, Parque Euclides Dourado, rádios , blogs e na tv.

Dias em que Garanhuns sediava o maior festival da américas e recebia ali do quintal de casa os olhos do mundo inteiro.

O FIG provou que a receita de misturar tribus e estilos musicais dá certo. Nos mais diversos palcos desfilaram grandes nomes da música pernambucana como Maestro Spok, Alceu Valença, Otto, Eddie, Mônica Feijó, Nação Zumbi e Mundo Livre, DJ Dolores, Isaar, Maciel Salu, Maciel Melo, Quinteto Violado, Karina Burh, Cascabulho, Josildo Sá, Nádia Maia, Devotos, Arlindo dos 8 Baixos e nacionais como Beth Carvalho, Marina Lima, Seu Jorge, Nando Reis, Frejat, Gal Costa, Jorge Aragão, Elba Ramalho,  Geraldo Azevedo, Fafá de Belém, Unidos da Tijuca, Pato Fu, Bebel Gilberto, Marcelo Camelo, Luíza Possi. Shows inesquecíveis que despertaram no público risos e lágrimas. Momentos que ficarão na lembrança das milhares de pessoas que vieram a cidade das flores , ver o grande encontro das mais diversas manifestações da arte.

Este foi o segundo ano em que o nosso blog cobriu o Festival de Inverno e olhando para o do ano passado, podemos afirmar que este superou as expectativas. Garanhuns recebeu mais e melhor, mesmo com a programação sendo anunciada tão perto da data. O comércio festejou com as vendas, os hotéis ficaram lotados, a nossa culinária foi um espetáculo a parte, recebemos muito bem.

A cobertura do vento foi primorosa pela imprensa local. Durante dez dias, jornais, rádios e blogs deram um show na cobertura, mesmo quando o cansaço e o sono teimavam em nos derrubar.

Falhas existiram , mas nada que não possa ser ajustado no ano quem vem.

Parabéns Garanhuns pelo maior festival das américas.

Amannda Oliveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário