quinta-feira, 21 de julho de 2011

Mistura de ritmos faz sucesso no FIG

Foto: Amannda Oliveira

Instrumentos na medida certa,  um bom toque de MPB e  roupagens bem particulares em músicas de Chico Buarque, Caetano, Lenine, além de músicas autorais de uma interpretação cheia de ousadia. Assim foi o show de Lucas Notaro, filho de Garanhuns que abriu a noite de ontem (20), na Guadalajara. 
Foto: Amannda Oliveira


A segunda atração da noite foi a cantora Daúde que trouxe ao palco uma mistura do melhor samba de raiz com batidas de funk e soul. A cantora que nos confidenciou que é do tempo em que se pesquisava para escrever uma música que nos falou da influência que sua formação tem sobre a sua música. Para quem não sabe a cantora é formada em Letras e Literatura e pós- graduada em história da africana.
No palco durante o seu show um encontro emocionante da cantora com um dos mestres do samba brasileiro, o cantor e compositor Nelson Sargento que nos próximos dias completa 87 anos.
Foto: Amannda Oliveira
 
A terceira atração da noite foi à cantora Roberta Sá, que trouxe ao palco o seu novo último trabalho Quando o Canto é Reza que passeia por ritmos como coco, maxixe, samba carioca, afoxé e samba de roda. Junto com o Trio Madeira Brasil a cantora passeou elo novo trabalho tido como um dos melhores do ano passado e cantou músicas como Fogo e Gasolina.
Foto: Amannda Oliveira


A última atração da noite subiu ao palco desagradando o público. A cantora Margareth Menezes, começou dando boa noite a “Caruaru”, você não leu errado, foi este o nome da cidade que a cantora bahiana mencionou. Mas, como não aconteceram vaias na Guadalajara a troca de nomes ele continuou o show e trouxe clássicos da música bahiana como Madagascar Olodum , Elegibô, Faraó e Dandalun.
Amannda Oliveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário