segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Roberta Jungmann faz comentário infeliz. Muito infeliz!!!!!

Prezados leitores,

Estava pela internet vendo notícias sobre o Baile Municipal do Recife e fiquei por dizer no mínimo decepcionada quando ao acessar o Blog Social da jornalista Roberta Jungmann. E vocês irão perceber o por que, ao lerem o comentário infeliz da jornalista sobre o show de Ivete Sangalo.

Eu vou colocar a página aqui para que vocês leiam e tirem as sua próprias conclusões.
















No referido texto , a jornalista destaca Ivete Sangalo como a grande atração da noite e diz que o povo não quer ouvir músicas antigas (frevo) e sim músicas da hora.

Em uma noite que contou com o Maestro Duda e sua Orquestra de Frevo ao lado de Claudionor Germano, Spok Frevo Orquestra,  Alceu Valença, André Rio, Almir Rouche , Marrom Brasileiro e Elba Ramalho , que são alguns dos maiores nomes da nossa música o grande bum só veio com Ivete, por que o povo PERNAMBUCANO não quer ouvir as músicas pernambucanas. Nada contra Ivete Sangalo, gosto muito do trabalho dela. Mas, a minha grande decepção em relação a esta nota , se dá ao me perguntar: quantos jornalistas pernambucanos estão pensando assim? Quantos dos nossos estão depreciando a nossa cultura , o nosso carnaval? 

Temos assistido de camarote a nossa cultura pernambucana ser mau cuidada , mal divulgada e os nossos artistas deixados de lado e parte disso é culpa nossa. Por que são convidados artistas de fora e nós ainda pagamos pra assistir. Mas o frevo, o caboclinho, a ciranda e o maracatu, se renovam sim. Tenho certeza que se qualquer um de nós for as rádios , encontrará diversos trabalhos encostados num canto por que as mesmas não tocam frevo, não forcenem espaço não dá valor ao que é nosso. Mas existe sim, renovação. Até no Sertão tem frevo , imagina na capital.

Tenho feito coberturas de diversas prévias carnavalescas e em todas elas os foliões ficam loucos quando escutam vassourinhas , Madeira que Cupim não Rói ou o hino do seu bloco lírico, por que acredite prezada jornalista NÓS AMAMOS A NOSSA CULTURA  E O NOSSO ESTADO. No interior tem se lutado pela valorização da nossa cultura, os bailes municipais  foram comandados pelos mesmos artistas pernambucanos que estavam no municipal e todos foram sinônimo de sucesso. Amamos a nossa bandeira mais do que muitos estados e não permitiremos que o governo ou quem quer que seja venha dizer que a música bahiana é melhor pra nós do que o NOSSO FREVO.

Na Bahia, o governo do estado apóia a cultura e divulga o ano inteiro na mídia nacional, usando os cantores como garotos propaganda. Em pernambuco, isso não acontece. Se faz um cadastro dos artistas, mas não se cria espaços para que os mesmos se apresentem, apareçam e tão pouco divulguem o seu trabalho. Não precisamos de depreciação precisamos de paixão e de políticas culturais de vergonha para levantar a nível nacional o nome de Pernambuco.

Respeitosamente, mas contrariada,

Amannda Oliveira 

10 comentários:

  1. Olá Amannda, acabei de conhecer o seu blog e fiquei impressionada com o comentário terrível feito pela jornalista Roberta. Sempre entro no site dela para ver os eventos e fiquei revoltada com o comentário dela. É um absurdo a forma como a nossa cultura vem sendo tratada pela EMPETUR. Não precisamos de música bahiana para "ABRILHANTAR" o nosso carnaval. Eu estava lá e quase me acabo com o André , o Marrom e o Alceu. Parabéns pela crítica respeitosa e necessária. Ana Cristina Menezes- Recife

    ResponderExcluir
  2. Amandinha, ontem fui pro ensaio do Nem sempre Lilí toca flauta, foi incrível, a energia dos verdadeiros fuliões pernambucanos, é lamentável a coloção dessa jornalista, mcom um pensamento um tanto medíocre com relação ao que é cultural, a Ivente é uma boa cantora, mas só canta lixo, convite aberto a essa jornalista pra assistir ao Lilí,Bloco da Saudade,O piano, Os barbas, Bloco das flores, ela vai ver as pessoas cantando músicas animada e de qualidade irretocável.
    Muito axé pra Roberta.
    Muito frevo pra vc Amandinha.

    ResponderExcluir
  3. Olá Ana, seja bem vinda e que bom que não sou a única a pensar assim não é. Volte sempre

    ResponderExcluir
  4. Meu querido Mazo. Uma das vozes mais bonitas de Pernambuco. Estou começando a creditar que precisamos de uma rebelião geral em nome da nossa cultura. kkkk Muito frevo pra nós meu amigo. Na veia. Xero grande

    ResponderExcluir
  5. Isso é mto triste.... , o FREVO é o nosso simbolo do CARNAVAL , nossa cultura é mto RICA.... , é uma pena q pessoas ainda tenham esse pensamento , assim nunca chegaremos a lugar nenhum... , temos q valorizar o q é nosso , como os BAIANOS faz com a musica deles.Bjs Cely

    ResponderExcluir
  6. gostaria que vc divulgasse ,Eleny régis ,presidente do bloco lírico com vc no coraçãoe mais trinta mulheres serão homenageada


    Convite: Sem elas não haveria Carnaval – mulheres do Carnaval do Recife

    Com pesquisa e textos da pedagoga e produtora cultural Claudilene Silva e da Historiadora Ester Monteiro, o livro procura dar visibilidade e tornar pública a participação das mulheres na preservação e condução das tradições e manifestações culturais do Carnaval do Recife. As entrevistas feitas com 30 mulheres que lideram agremiações carnavalescas na atualidade resultam neste registro de suas trajetórias, incluindo-se ai algumas que já não mais estão conosco, como Dona Santa, Badia, Dona Ivanize de Xangô, entre outras, grandes lideranças que se tornaram referência no Carnaval da Cidade por imprimirem um ritimo e uma marca feminina na gestão de suas agremiações.

    Data: 01/03/2011
    Horario: 16horas
    Local: Auditório da Livraria Cultura, Recife Antigo





    Centro de Formação, Pesquisa e Memória Cultural - Casa do Carnaval
    Local: Pátio de São Pedro, Nº 52
    São José, Recife / PE CEP: 50020-220
    Atendimento: Seg. à Sex. de 9H às 17H.
    Fones: 3355-3302 / 3355-3303
    www.casadocarnaval.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. bom dia amanda ,sou brincante do bloco lírico com vc no coração, amo carnaval no dia 06-3 participaremos competindo na av:nossa senhora do carmo ás 20 horas,esperamos vc, obrigada .

    ResponderExcluir
  8. Como pernambucana e foliã fiquei revoltada com o comentário da jornalista. Eu estava no Baile Municipal e vi como os foliões dançavam empolgadíssimos ao som do frevo e outros ritmos de nossa terra. Faço parte de dois blocos carnavalescos e um afoxé e vejo como renova-se a cada ano a presença de pessoas de todas a idades. Quanto ao comentário da jornalista, fico entre a revolta pela sua postura e a pena pela sua falta de informação. Talvez se ela tirasse a venda que tem nos olhos pudesse ver como o povo ama e participa de nosso carnaval. Gostaria até de convidá-la a conhecer o nosso carnaval para que ela pudesse de fato ter ciência do que fala antes de fazer comentários tão descabidos.

    Tita Rodrigues

    ResponderExcluir
  9. Eu acho que a Jornalista Roberta Jungmann está certa em falar sobre a preferência do povo. Para quem não sabe essa não é uma opinião apenas da jornalista e sim da maioria do povo que gosta de carnaval.Se ninguém dá a cara prá bater é outro assunto. Ela teve coragem sim, de falar o que o povo pensa. Sei que Roberta é uma jornalista responsãvel e ética. Comentário infeliz e preconceituoso são os de vocês. Não é culpa da jornalista a preferência de um determinado público por ritmos de fora. Se bem me lembro, essa canalhice foi também cometida com as bandas e cantores que cantavam em inglês. Até de antipatriotas essas pessoas foram chamadas. Agoras, são aceitas porque o público jovem impôs sua vontade. Democracia é isso gente! Eu sou pernambucana e recifense com o maior orgulho, mas acho um saco ficar ouvindo frevo e apenas frevo o tempo todo.Fui! Saravá Roberta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo Lúcia Carvalho, ninguém aguenta mais AO SOM DOS CLARINS DE MOMO.......E POR AÍ VAI!
      Entra ano, sai ano e não saimos disso!
      Que saco! FUI! Mandou bem Roberta!

      Excluir