Parece que toda eleição de Mesa Diretora nas câmaras de vereadores  no interior tem por hábito terminar em confusão, mas a Câmara de Vereadores de Garanhuns, desta vez, levou isso a sério. A confusão começou antes da sessão.

Tudo começou, quando alguns vereadores ficaram descontentes  deviso ao fato do atual presidente Silvio Sabino (PSC), ter que se ausentar e não estar presente para concorrer a reeleição.O mesmo tentou adiar o proceso de votação, mas não teve sucesso, uma vez  que o quantitativo de vereadores presentes era suficiente para dá seguimento ao ato eleitoral, e também tinha a lei de reeleição da mesa diretora (como norma à lei orgânica).
A confusão começou justamente, quando ao chegar ao prédio da Câmara, os vereadores encontraram o local de portas fechadas e sem nenhum funcionário, fora o guarda municipal. Ao entrar em contato com alguns funcionários da Casa, obtiveram a informação de que os mesmos, foram orientados a  não se fazer presente na Câmara.

Depois de algum tempo, o guarda da Câmara, que estava cumprindo seu horário, ao procurar às chaves para abrir o prédio, se deu conta que faltavam algumas, justamente, as que davam acesso à plenária. Após    dar um jeito de abrir o plenário, o guarda foi à Delegacia abrir um Boletim de Ocorrência, uma vez que as chaves estiveram em determinado momento sob a posse do assessor de um vereador que faltou a esta sessão eletiva na Câmara, e depois se percebeu que faltavam algumas. O nome do assessor, foi citado na queixa.

Depois de toda esta novela quase mexicana, a sessão foi iniciada,  pelo vereador Zé de Vilaço (PDT), então na condição de Vice-presidente. A chapa única apresentada teve aprovação, sendo eleitos Gersinho Filho (PSC), Presidente; Natalício (PDT), Vice-presidente; José Ary (PTB), 1º Secretário; e Junior Negrão, 2º Secretário. Há quem diga que foi criado todo um mal estar na Casa Raimundo de Moraes.
Os  vereadores que faltaram à sessão,  foram: Sivaldo Albino (PPS), Dimas Carvalho (PDT), Marcelo Marçal (PT) e Zaqueu naum (PDT) e Silvio Sabino (PSC).

Amannda Oliveira