sábado, 21 de março de 2009

Boa Notícia : Esperança de Cura para Pacientes Vitimados com Mal de Parkinson.


 
Ontem como que por um milagre vi uma boa notícia em um jornal. CIENTISTA BRASILEIRO PODE TER ENCONTRADO A CURA PARA O MAL DE PARKINSON. E como notícia boa é coisa rara hoje em dia resolvi trazer um pouco do que assisti ontem e li na gazeta on line.
Segue abaixo o texto da gazeta de 19/03 com o seguinte título: Brasileiro lidera técnica que trata Parkinson com choques na coluna ( G1) Uma nova técnica criada por uma equipe liderada por um pesquisador brasileiro e testada com sucesso em camundongos pode dar grandes esperanças aos pacientes vitimados pelo mal de Parkinson. Ela conseguiu, em roedores, eliminar os sintomas da doença ao estimular com eletricidade o sistema nervoso a partir da medula espinhal.O trabalho foi chefiado por Miguel Nicolelis, da Universidade Duke, nos Estados Unidos, e do Instituto Internacional de Neurociências de Natal, no Rio Grande do Norte. O estudo ganhou a capa da edição desta semana do periódico científico "Science". 

Os resultados são tão promissores que os pesquisadores vão começar em breve os estudos com primatas -- os testes serão feitos em Natal -- e a expectativa é que os primeiros testes clínicos, com pacientes humanos, venham já no ano que vem. A ideia que gerou o sucesso foi o resultado de encarar o cérebro e o mal de Parkinson de uma forma diferente da que é usualmente adotada pelos cientistas, segundo Nicolelis. "Nós estamos classificando a doença como algo da dinâmica cerebral -- mais ou menos como é a epilepsia", explica. "O mal de Parkinson é uma doença neurodegenerativa que avança de forma progressiva, causando tremores incontroláveis e espasmos, e no fim das contas leva à morte. 

Nos experimentos, ratos e camundongos com sintomas similares aos do mal de Parkinson se mostraram muito melhores ao controlar seus movimentos após a estimulação elétrica. Daí o ânimo dos cientistas em começar logo os testes em primatas e verificar se os benefícios também podem ser estendidos a ser humanos. "Hoje, os esforços de estimulação profunda do cérebro beneficiam apenas uma pequena parcela dos pacientes", diz Nicolelis. "Com a nossa técnica, a tendência é que a grande maioria possa se beneficiar disso."O cientista tem a esperança de que o novo tratamento possa dar às vítimas do mal de Parkinson uma vida normal por mais tempo, além de maior longevidade -- embora não seja uma cura propriamente dita. "Nossa técnica, caso funcione em humanos, poderia reduzir a dependência do paciente de grande quantidade de drogas", afirma. 

Não coloquei todo o texto só o que achei mais interessante. Espero sinceramente que este resultado se confirme em seres humanos. Tenho uma amiga querida que sofre com este mal e que assim como tantos merece viver mais e melhor. 

 Amannda Oliveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário