sexta-feira, 16 de agosto de 2019

Novos Patrimônios Vivos de Pernambuco são titulados no Teatro de Santa Isabel

 Foto: Jan Ribeiro/ Secult PE – Fundarpe

O Governo do Estado de Pernambuco, através da Secretaria de Cultura e Fundarpe, realizou nesta sexta-feira (16), no Teatro de Santa Isabel, no Recife, a entrega dos prêmios dos vencedores do 4º Prêmio Ayrton de Almeida Carvalho de Preservação do Patrimônio Cultural, além da titulação dos seis novos Patrimônios Vivos do Estado (PV). Participaram da solenidade – uma comemoração ao Dia Nacional do Patrimônio Histórico, celebrado oficialmente no próximo sábado (17) - diversas autoridades e PVs registrados, que puderam assistir também, ao longo da cerimônia, às apresentações da Tribo Indígena Carijós do Recife, do Maracatu de Baque Solto Cambinda Brasileira, do Mestre Nado e do Mestre Assis Calixto. 

Foto: Jan Ribeiro/ Secult PE – Fundarpe

Algumas autoridades envolvidas na solenidade foram Renata Duarte Borba, superintendente do Iphan; Silvio Amorim, presidente do Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico Pernambucano. José da Costa Carvalho, representando a família de Ayrton Carvalho de Almeida; Leda Alves, secretária de Cultura do Recife; Marcelo Canuto, presidente da Fundarpe; e Gilberto Freyre Neto, secretário de Cultura de Pernambuco, além dos prefeitos de Ouricuri e de Nazaré da Mata.

“Represento aqui hoje o governador Paulo Câmara, que não está presente porque participa da escuta do Todos por Pernambuco no sertão do Estado. Mas trago uma mensagem de muito respeito aos mestres e mestras, agraciados ou não, que são a base da cultura pernambucana. Vocês são nossas bússolas e faróis na busca por direções que nos leve ao reconhecimento da importância da cultura. Que a gente possa ter nisso a referência do que é ser pernambucano”, celebrou Gilberto Freyre Neto.

Para Marcelo Canuto, todos os gestores que ali compunham a mesa são parceiros na gestão pública e dividem o desafio que o Brasil vive. “Mas ao mesmo tempo é muito animador nos reunirmos aqui para valorizar a cultura pernambucana. O reconhecimento do Patrimônio Vivo é, acima de tudo, valorizar, proteger e promover os mestres que possuem tanto valor cultural”.

Receberam o 4º Prêmio Ayrton de Almeida Carvalho de Preservação do Patrimônio Cultural de Pernambuco os seguintes projetos: na categoria Formação, Clube Carnavalesco Mixto Seu Malaquias (1º lugar) e Cinema no Interior (2º lugar); na categoria Acervo Documental e Memória, Real Hospital Português (1º lugar) e Fundação Cultural Cabra de Lampião (2º lugar); e na categoria Promoção e Difusão, Canal Babau: Salvaguarda do Mamulengo Pernambucano (1º lugar) e Contos de Ifá (2º lugar). Cada um dos vencedores receberá um incentivo no valor de R$ 20 mil (primeiros lugares) e R$ 10 mil (segundos lugares).

Nessa quarta edição, foram inscritos 34 projetos, dos quais 21 da Região Metropolitana, 3 do Agreste e 9 do Sertão. Além dos vencedores, a comissão, também fez menções honrosas às seguintes iniciativas: Educação para Museus (Formação), Reorganização do Acervo Documental da Arquidiocese de Olinda e Recife (Acervo Documental e Memória) e XIII Kipupa Malunguinho (Promoção e Difusão).

Wagner Porto Cruz, do Canal Babau, falou em nome de todos os premiados sobre a importância desse prêmio. “Acredito que mais uma vez Pernambuco cumpre um papel histórico de mostrar ao país como se faz política cultural e de como é possível avançar nesse sentido. Agradeço a todos os que fazem esse prêmio acontecer e a todo mundo que está na batalha pela cultura popular do estado”, disse o mamulengueiro.

Patrimônio Vivo - Eleitos pelo Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural (CPPC), no último dia 10 de julho, os seis novos Patrimônios Vivos de Pernambuco diplomados são: Mestre Saúba (Brinquedos populares e mamulengos, de Jaboatão dos Guararapes); Maracatu de Baque Solto Cambinda Brasileira (Nazaré da Mata); Mestre Aprígio (artesão do couro, de Ouricuri); Mestre Nado (artesão de instrumentos musicais feitos de barro, de Olinda); Mestre Assis Calixto (mestre de coco, de Arcoverde); e Tribo Indígena Carijós do Recife (Caboclinho, do Recife).

Este foi o 14º Concurso do Registro do Patrimônio Vivo do Estado de Pernambuco – RPV-PE, realizado pelo Governo de Pernambuco, com o objetivo de reconhecer, estimular e proteger iniciativas que contribuem para o desenvolvimento sociocultural e profissional dos mestres e das mestras e grupos de notório saber. Os vencedores passam a receber bolsa vitalícia de R$ 1.600 (um mil e seiscentos reais), no caso de pessoa física, e R$ 3.200 (três mil e duzentos reais) no caso de grupos, pessoas jurídicas.

Para Aramis Macedo, presidente do Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural, “é importante ressaltar que a entrega do Prêmio Ayrton de Almeida Carvalho e do Patrimônio Vivo só é possível por conta de uma política pública implementada há vários anos em prol da cultura pernambucana e que tem sido cada vez mais aprofundada. Somos o primeiro estado a estabelecer uma política como essa e é o que mais investe nos seus patrimônios registrados”, ressaltou.

Nos últimos dois anos, a Semana do Patrimônio Cultural de Pernambuco obteve significativos avanços. Em 2017, 13 municípios pernambucanos participavam da iniciativa. Em 2019, esse número subiu para 30. Além disso, em 2018, o projeto recebeu o Prêmio Melo Franco de Andrade, entregue às ações de preservação do patrimônio mais importantes do país.

Mestre Saúba revelou que essa era uma das horas mais esperadas da sua vida. “É a minha maior honra, e eu sonhava com isso. Se eu trabalhava com amor, agora vou trabalhar dobrado. E trabalha para ensinar aquelas crianças que não sabem da brincadeira, nas famílias e nas escolas. A gente não quer que o artesanato seja perdido, ele tem que ser apurado”, comemorou o novo Patrimônio Vivo.

Anderson Santos subiu ao palco do Santa Isabel representando seu irmão, o Pai Jefferson Nagô (in memoriam), responsável pela reativação do Caboclinhos Carijó. “Em 2011 meu irmão reativou a mais antiga tribo de caboclinhos do Recife, que é o Carijós, e prometo que nós nunca mais vamos deixar esse legado acabar”.

Mestre Aprígio com suas poucas palavras deixou registrado sua emoção e que acreditava que o povo de Ouricuri, sua terra natal, estava mais feliz ainda. Também com poucas palavras, Mestre Nado agradeceu ao título e cantou uma música sua, a Ciranda para todos.

Edilamar Cambinda Brasileira, presidenta do maracatu, comentou que estava muito honrada em receber este título. “Foi uma batalha muito grande recebê-lo. Nós participamos desde a primeira edição e pra mim é uma honra estar aqui recebendo essa premiação. São 101 anos de história levando o nome de Pernambuco para o mundo”, destacou.

Por fim, Assis Calixto se autodeclarou artesão e compositor da banda Raízes de Arcoverde. “Meu trabalho é nas escolas e nunca pensei que ganharia um prêmio, porque eu fazia por vontade de levar o coco arcoverdense para as crianças e novas gerações. Estou muito satisfeito com meu trabalho”.

Além dos titulados, os Patrimônios Vivos presentes na solenidade foram Mestre Galo Preto, Maestro Formiga, Índia Morena, Associação Musical Euterpina, Dedé Monteiro, Caboclinho Canindé, Didi do Pagode, Clube de Boneco Seu Malaquias, Dona Prazeres, Canhoto da Paraíba, Maracatu Estrela de Ouro de Aliança, Cristina Andrade e Mestre Chocho.

ASCOM/FUNDARPE

Nenhum comentário:

Postar um comentário