Em Garanhuns, Governo Municipal participa de evento sobre o potencial da produção de vinhos no Agreste

Foto: Edméa Ubirajara

A região de Garanhuns poderá ter cultivo de uvas e produção de vinhos comerciais. A informação foi confirmada durante evento realizado na tarde de hoje (04) pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Na Chácara Vale das Colinas, em Garanhuns, houve palestra, apresentação dos resultados das pesquisas sobre o potencial de produção de vinhos de altitude na região do agreste pernambucano e degustação de vinhos já produzidos localmente. Entre representantes de diversos municípios, estiveram Clebson Nunes, da Secretaria de Turismo e Cultura e João Paulo Sobral, secretário de Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente, ambos de Garanhuns. Os primeiros vinhos da região foram elaborados no Laboratório de Enologia da Embrapa Semiárido.

A Embrapa Semiárido, em parceria com o Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) e Instituto Federal do Sertão Pernambucano (IF Sertão-PE) implantou e avaliou cultivares de uvas viníferas na cidade de Brejão-PE. E os resultados surpreenderam. A pesquisadora da Embrapa Patrícia Coelho de Souza Leão e o professor da UFRPE Mairon Moura da Silva apresentaram a palestra  “Comportamento Agronômico e potencial Enológico de Uvas Viníferas na Região de Garanhuns”. “Realizamos pesquisas de forma multidisciplinar, com a colaboração de muitos profissionais e estudantes e apresentamos hoje um vinho experimental, que tem possibilidade de se tornar comercial dentro de alguns anos”, disse Patrícia.

E a atividade é potencial na região. A também pesquisadora da Embrapa, Aline Telles Biasoto Marques, apresentou dados concretos sobre os vinhos elaborados a partir das uvas produzidas na área experimental, em Brejão-PE. O médico e empresário Michel Cavalcante, que acreditou no projeto, contou que há quatro anos já existia a intenção de plantar uvas e fabricar vinhos na Chácara Vale das Colinas. “Temos o clima, a altitude, vários pontos importantes para esta atividade. Além disso, não existe uma cidade só com vinícolas, toda uma cadeia cresce em conjunto”, afirmou.

A participação do Governo Municipal no evento foi destacada  pelo professor Mairon em sua fala. “Agradeço a presença das Secretarias, esse apoio é muito importante no processo. Não estamos aqui só desenvolvendo uma pesquisa, mas ultrapassamos as barreiras e saímos da instituição universitária”, ressaltou. A integração e o crescimento econômico que atividade pode trazer foram elogiados pelo secretário de Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente. “É muito importante a iniciativa e estamos dispostos a contribuir. Representa uma possibilidade de uma nova de cultura, o plantio de uvas para a fabricação de vinhos, que acabará por contribuir para a economia e o turismo”, afirmou João Paulo Sobral.

Os vinhos apresentados para a degustação foram Cabernet Sauvignon, Malbec e Syrah, todos tintos, embora também tenham sido produzidos outros tipos da bebida, incluindo os brancos. Os testes terão continuidade e a possibilidade de produzir para venda comercial é real, de acordo com os técnicos da Embrapa e o empresário.

Edméa Ubirajara

Nenhum comentário

Amannda Oliveira. Tecnologia do Blogger.