20ª edição do Sonora Brasil aporta no Estado em julho


O projeto, que vai circular pelo Grande Recife, Agreste e Sertão, traz apresentações de quatro grupos de coco com acesso gratuito ao público

Apresentar ao público expressões musicais fortes, mas ainda pouco difundidas e que integram o cenário cultural brasileiro. Esse é o foco do projeto nacional Sonora Brasil, do Sesc, que chega este ano a sua 20ª edição. Considerada a maior em circulação musical do País, a iniciativa aporta em Pernambuco para um circuito que vai acontecer de julho a novembro. A iniciativa traz para o Estado na primeira etapa do biênio 2017/2018 quatro grupos com o tema “Na pisada dos cocos”. A programação será aberta pelo Coco de Iguape, do litoral de Fortaleza, que passará por 14 cidades do Grande Recife, Agreste e Sertão.

“O projeto segue nosso princípio de dar acesso e difundir manifestações autênticas e tradicionais, como o coco, e aproximar os públicos que não têm a oportunidade de apreciar grupos de várias partes do Nordeste e de seus modos peculiares de fazer artístico em coletividade", afirma a professora de Artes do Departamento Regional do Sesc em Pernambuco, Sônia Guimarães. A primeira apresentação acontece na próxima segunda-feira (10), no Terreiro Ilê Axé Xangô, no bairro de Cajueiro Seco, em Jaboatão dos Guararapes, às 19h. Já no dia seguinte (11), é a vez de a cidade de Camaragibe receber o grupo no Canto das Memórias Mestre Zé Negão, no bairro de João Paulo II, no mesmo horário.

Em seguida, o grupo inicia a turnê por Goiana (13) e seguirá para o Agreste, com agenda em Surubim (14), Caruaru (15), Garanhuns (17), Belo Jardim (18), Pesqueira (19) e Buíque (20). Na última região, no Sertão, o Coco Iguape vai se apresentar em Triunfo (21), Araripina (24), Petrolina (25) e Bodocó (30). O acesso é gratuito ao público.

A música do Coco de Iguape tem a estrutura de refrão fixo, apresentada pelo mestre e cantada pelos brincantes. Os instrumentos utilizados pelo grupo são o caixão, feito de madeira em forma de caixa, o ganzá e o triângulo, pouco encontrado no coco. A dança tem como característica ser mais pulada e acontece em pares, um de cada vez no meio da roda. No repertório, estão músicas como: “Café”, “Diga Lá, Marino”, “Meu navio é cergueiro”, “Meu relógio deu hora” e “Helena”.

O grupo é formado pelo mestre Chico Caçoeira, Klévia do Iguape, Renato Cabral, Wellignton Monteiro, João Anastácio de Carvalho, José Ailton da Costa Miranda, Altamiro da Costa e Adonai Ribeiro. Os integrantes se apresentam descalço e as vestimentas são feitas artesanalmente com o mesmo tecido usado nas velas das jangadas.

Sonora Brasil – No biênio 2017/2018, a inciativa traz os temas “Na pisada dos cocos”, que apresenta a expressão típica da Região Nordeste, trazendo dois grupos do litoral e outros dois do interior; e “Bandas de música: formações e repertórios”, com um panorama das tradicionais bandas que, espalhadas pelo país, são reconhecidas como importantes instituições formadoras de músicos que integram orquestras e conjuntos de câmara. O primeiro tema circula pelos estados das regiões Norte e Nordeste, enquanto o segundo segue pelos estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Em 2018, na 21ª edição, acontece a inversão dos grupos.

Participantes – Além do Coco de Iguape, participam do tema “Na pisada dos cocos” outros três grupos: oCoco de Tebei, da comunidade Olho D’Agua do Bruno, da cidade de Tacaratu (PE), Coco de Zambê, de Tibau do Sul (RN) e Samba de Pareia, da Mussuca (SE).

Mostra – De 11 a 14 de agosto, o Teatro Marco Camarotti, no Sesc Santo Amaro, recebe apresentação dos quatros grupos. Na grade: Coco de Zambê (11), Coco de Iguape (12), Coco de Tebei (13) e Samba de Pareia (14). Os shows acontecem sempre às 20h com acesso gratuito.

Projeto Sonoras Brasil

10/7, às 19h- Terreiro Ilê Axé Xangô (Jaboatão dos Guararapes)
11/7, 19h- Canto das Memórias Mestre Zé Negão (São Lourenço da Mata)
13/7, 20h – Teatro Historiador Antônio Corrêa de Oliveira (Sesc Ler Goiana)
14/7, 19h30 – Sesc Ler Surubim
15/7, 20h – Teatro Rui Limeira Rosal (Sesc Caruaru)
17/7, 20h – Sesc Garanhuns
18/7, 20h – Cine Teatro Cultural (Belo Jardim)
19/7, 20h – Sesc Ler Pesqueira
20/7, 20h - Sesc Ler Buíque
21/7, 20h – Theatro Cinema Guarany (Triunfo)
23/7, 20h – Sesc Ler Bodocó
24/7, 20h – Lions Club (Araripina)
25/7, 20h – Teatro Dona Amélia (Sesc Petrolina)

Claudio Rodrigues

Nenhum comentário

Amannda Oliveira. Tecnologia do Blogger.